Roque Serrão está internado no Hospital Geral de Roraima desde o dia 1º de julho — Foto: Emily Costa/ G1 RR

O irmão de um paciente que está internado no Hospital Geral de Roraima (HGR), em Boa Vista, denunciou a qualidade do atendimento oferecido na unidade. O homem chegou a ser declarado morto, mas estava em coma e respirando, diz o familiar.

De acordo com Francisco Serrão, de 38 anos, uma médica anunciou o falecimento de Roque Serrão, 37, no domingo (7), mas até a tarde desta terça-feira (9), o paciente continua vivo.

Em nota, a Secretaria de Saúde (Sesau) informou que o paciente está sendo acompanhado pelo setor de Cirurgia Geral e não pelo de Oncologia, mas não explicou sobre o atendimento e a declaração de falecimento dada à família. (Confira a íntegra da nota no fim da reportagem)

Com câncer, o paciente passou por uma cirurgia no HGR no mês de junho. Após sentir muitas dores, voltou a ser internado no hospital em 1º de julho, onde continua até hoje. Roque Serrão está no bloco de internação com os órgãos expostos, afirma o irmão.

“Passaram uma medicação, não sei o que deram para ele. No sábado ele passou mal e os órgãos saíram pelo corte da cirurgia. No domingo, fui chamado e informaram o falecimento do meu irmão”, explica Francisco.

Antes de ver o irmão, Francisco fez contato com uma igreja para preparar o velório, comprando uma urna e até o caixão. No entanto, quando foi até o HGR para retirar o corpo, descobriu que seu irmão estava respirando e em coma.

Segundo Francisco, os funcionários têm se recusando a fazer a limpeza do paciente e afirmam que ele está morrendo. Ele disse ainda que não consegue contato com a administração do hospital para reclamar formalmente sobre a situação.

“Sempre que procuro a diretora do hospital não encontro. O responsável pela administração também. O HGR está sem médicos, só tem técnicos em enfermagem por lá”, relatou.

Nota do Governo de Roraima

“A Secretaria de Saúde (Sesau) informa que o HGR mantém uma equipe, que está disponível 24 horas para atender os pacientes da Oncologia, basta ser acionada.

O referido paciente está sendo acompanhado pelo setor de Cirurgia Geral e não pelo de Oncologia.

Ressalta que, ao se sentir de algum modo prejudicado em relação ao serviço prestado, o paciente ou os familiares podem procurar a Direção-Geral ou a Ouvidoria, durante a semana, e nos fins de semana, a Direção Administrativa da unidade, a fim de que sejam tomadas as medidas cabíveis para cada situação.

Essa formalização é uma garantia para o cidadão exigir seus direitos, além de possibilitar que a gestão tome conhecimento e adote as medidas necessárias”.

Informações: G1 Roraima

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here