O secretário estadual de Segurança Pública, Olivan Junior, confirmou a presença de membros de uma facção criminosa que se autodenomina ‘Sindicato’, da Venezuela, em Pacaraima, município roraimense ao norte do estado. “Estão sendo monitorados e sabemos que são de facção porque, quando são presos, se autodeclaram faccionados”, afirmou. “Temos notícias, por meio da área de inteligência da Segurança Pública, que essa facção está tentando se estabelecer aqui em Pacaraima. Ela tem sua origem possivelmente nos movimentos sindicais metroviários da Venezuela e que por terem se organizado lá, de alguma forma, forçosamente em razão da crise humanitária, se estabelecem agora em Pacaraima”, contou Júnior.

Os grupos criminosos que no Brasil são chamados de ‘facções’, na Venezuela são conhecidos como “sindicatos” ou “pranatos”, originários do sistema prisional da Venezuela e com ligações com narcotraficantes, de acordo com a imprensa venezuelana.

Questionado sobre o que a Secretaria de Segurança Pública está fazendo com relação a essa facção, o secretário afirmou que tem procurando agir de maneira eficiente, dando proporcionalidade às coisas que estão acontecendo. Com relação a possíveis delitos, como entrada de armas, Olivan Júnior disse que a situação que se tem atualmente na fronteira é componente da maior crise migratória da América Latina. “Você vê que antes entravam por Pacaraima cerca de 500 a 600 pessoas por dia, e hoje entram entre 700 e 800 imigrantes”, ressaltou.

FTIP – Sobre uma possível prorrogação da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (Ftip) em Roraima, o secretário de Segurança Pública de Roraima, Olivan Júnior, informou que isso está condicionado à efetivação de concurso público para agentes penitenciários. “A ouvidora do Departamento Penitenciário Nacional, Cintia Rangel Assumpção, esteve em Roraima e informou oficialmente que o estado precisaria dar um posicionamento ou sinalização de que está tomando providências no que se refere a realizar concurso para agentes penitenciários, para que pudesse respaldar a permanência da Ftip em Roraima. Porque em lugar nenhum do Brasil a Ftip ficou tanto tempo como aqui, e outros estados têm problemas semelhantes aos daqui”, ressaltou.

Segundo o secretário, diante do que foi apresentado, o governador Antonio Denarium decidiu realizar o concurso para agentes penitenciários e dar continuidade ao certame para a Polícia Militar.

“Para que a gente mantenha o que está sendo feito aqui, pela Ftip, a gente precisa da contratação de novos agentes penitenciários que vão ser formados dentro do modelo Ftip, com a metodologia, com treinamentos, com protocolo padrão que são regras, o que é uma inovação que foi introduzida no sistema prisional de excelência”, comentou o secretário.

Informações – Folha de Boa Vista – Foto – Diane Sampaio