Problema ocorreu quando motor do rebocador quebrou no dia 24 e moradores denunciam que nenhuma equipe foi até o local (Foto: Edinaldo Morais)

A balsa que atende a região do Passarão, zona rural de Boa Vista, está encalhada a cerca de 12 quilômetros da sede da vila, denunciam moradores. O problema persiste desde o dia 24 deste mês, quando o motor do rebocador quebrou. Com isso, a travessia no Rio Uraricoera é feia por canoa e outras pequenas embarcações.

Para cada travessia são cobrados R$ 20 (ida e volta) por pessoa. A balsa atende 27 comunidades indígenas na região da Raposa Serra do Sol e São Marcos, e tem apresentado constantes problemas nos últimos meses. De acordo com uma moradora, que não quis se identificar, nenhuma equipe responsável pela embarcação foi até o local.

“Não veio ninguém para auxiliar em nada. Quem tirou o rebocador foram os balseiros que ficaram uns três dias lá para conseguir trazer de volta. O governo e o pessoal responsável não vão lá, não estão nem aí para a gente. Estamos atravessando de canoa, gastando o que temos e o que não temos”, criticou.

A Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sepa) emitiu nota pública informando que a balsa estava encalhada a 20 quilômetros e mergulhadores profissionais foram enviados para realizar o serviço de retirada, porém, devido à complexidade, o trabalho ainda estava sendo feito. Segundo a moradora, as informações não procediam.

Um vídeo mostra a balsa totalmente encalhada em um banco de areia, não havendo possibilidade de mergulho. O morador que fez as imagens lamenta a situação e pede providências ao governo estadual.

 

GOVERNO

A Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) informa que uma equipe de manutenção será enviada para o local onde a balsa Trombetas encalhou para fazer consertos na carcaça e na parte mecânica. Informa ainda que serão necessários cerca de sete dias para a conclusão do serviço. Somente após os reparos necessários, o trabalho de remoção da embarcação será iniciado.

Informações: Roraima em Tempo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here