Mesmo após a chegada de 31 toneladas Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), no último dia 9 de abril, servidores que trabalham no Hospital Geral de Roraima (HGR), reclamam que estão trabalhando sem ter acesso aos EPIs necessários.

“Estamos trabalhando praticamente sem EPIs, está sendo distribuído apenas uma máscara por plantão de 12h, e isso apenas quando fazemos muita questão. Porque pela gestão tenho certeza que não receberíamos nada”, disse uma das denunciantes.

A FolhaBV entrou em contato com o Governo do Estado que por meio de nota informou que os EPIs incluindo máscaras faciais incolor, máscaras de proteção respiratória, álcool etílico 70%, óculos de proteção profissional, macacão branco, avental, gorro, luvas entre outros itens essenciais nas unidades hospitalares, recebidos no dia 09 de abril, vão atender os servidores e unidades de saúde no combate ao Novo Coronavírus (COVID-19).

A Secretaria ressaltou na nota que todas as Unidades Hospitalares, incluindo o Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento estão recebendo os EPI´s. No entanto, esse repasse está sendo feito de acordo com o cronograma elaborado pela CGAF (Coordenadoria Geral de Assistência Farmacêutica) e CGUE (Coordenadoria Geral de Urgência e Emergência).

A nota explica que o material é distribuído aos profissionais nas unidades hospitalares, conforme Protocolos da OMS (Organização Mundial de Saúde) e CCIH/ UVE, priorizando os profissionais com contato direto com o COVID-19.

Além disso o Governo de Roraima, informou que por meio de uma ação integrada entre a Sesau, Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social) e Sejuc (Secretaria de Justiça), pretende iniciar a produção de EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual), em Roraima. O projeto será realizado em parceria com o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), que promoverá a qualificação dos profissionais e a UFRR (Universidade Federal de Roraima), que fará a certificação dos itens produzidos. A expectativa é confeccionar diariamente cerca de 5.000 máscaras de tecido em Roraima, além de outros itens como jaleco e avental. Toda a produção atenderá as demandas das unidades de saúde no Estado.

Informações: Folha de Boa Vista