Lembram daquela “gracinha” do deputado estadual Jefferson Alves, que em ato de insanidade quebrou a corrente de segurança na área indígena dos Waimiri-Atroari, na barreira do Jundiá? Pois é, não vai sair barato para o roliço.

É que a Associação dos indígenas ajuizou ação de reparação por danos materiais e morais na local contra Jeferson e mais 11 pessoas que participaram daquele teatro e pedem ainda uma indenização de quase R$ 1 milhão.

Todos sabem, Jeferson, acompanhado de auxiliares e munido de uma motosserra e um alicate derrubou a corrente que faz o controle de tráfego na reserva dos índios Waimiri das 18 horas as 6 horas, todos os dias, na divisa de Roraima com o Amazonas.

Diante das câmeras que o filmavam e com a ajuda de apoiadores, o parlamentar cortou a corrente e serrou o tronco que a sustentava. Durante o ato, ele citou o presidente Jair Bolsonaro e afirmou que “nunca mais” a passagem será fechada.

—  Se depender de mim essa corrente nunca mais vai deixar meu Estado isolado. Bolsonaro, isso é por Roraima, pelo Brasil. Nós estamos retirando essa corrente que humilha e maltrata meu estado, em nome da população roraimense — disse.

Mas os índios, diferentes de Jeferson, agiram no silêncio e três meses depois do ocorrido encaminharam ação ao juiz Jarbas Lacerda de Miranda da 4ª Vara Cível da Comarca de Boa Vista.

Alegam que os envolvidos “invadiram os limites da terra indígena e utilizando-se da força e munidos de uma motosserra e de um alicate tipo turquesa ‘destruíram um marco de fiscalização e arrebentaram uma corrente de controle seletivo de acesso”.

Além dos danos materiais e morais, os indígenas pedem anda: pagamento de R$ 300 mil reais para cada indígena, somando R$ 600 mil no total por indenização por danos morais.

Outra solicitação é que os envolvidos arquem com o pagamento de uma indenização também por danos morais no valor de R$ 300 mil para a ACWA e por danos materiais no valor de R$ 14,4 mil para a Associação Comunidade Waimiri Atroari, resultando em um total de R$ 914 mil.

Informações: Blog do Perônico – foto: Divulgação