Prédios públicos e veículos foram alvos de ataques criminosos em massa nesta segunda-feira, dia 29, e após ação das forças de segurança, um suspeito foi preso. Confira os casos:

O primeiro crime aconteceu por volta das 11h20 dessa segunda-feira, dentro do terreno do antigo prédio da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), na avenida Ene Garcez. Um ônibus foi consumido pelas chamas e a lateral de outro ônibus que estava ao lado, também foi queimada. Os veículos pertencem ao Programa Federal “Caminhos da Escola” e estavam parados há algum tempo porque precisavam de manutenção.

Prédio da Seed pega fogo pela terceira vez

Somente no ano passado, dois casos de incêndios foram registrados no antigo prédio da Seed (Secretaria Estadual de Educação e Desporto), localizado na Praça do Centro Cívico. Por volta das 12h24 dessa segunda-feira, o prédio foi alvo novamente de um atentato e sua estrutura foi tomada pelas chamas. O incêndio não se propagou e os bombeiros  conseguiram conter o fogo. O prédio está sem uso há cerca de 8 anos.

O suspeito seguiu para a antiga garagem do Departamento de Estradas e Rodagem (DER), do governo do Estado, e tocou fogo em vários carros que estavam aglomerados no local. Os veículos são considerados velhos e não estavam em uso pela nova gestão administrativa. O levantamento do prejuízo total ainda não foi divulgado, mas pode ultrapassar os R$ 300 mil.

Dando continuidade aos ataques, também foi incendiado um depósito existente no terreno onde está a Caixa D’água da Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caer), bairro São Vicente. Este incêndio foi gravado por imagens de câmeras do circuito de segurança, possibilitando a identificação do suspeito que chegou com uma garrafa  cheia de diesel e segurando outros materiais.

O quinto incêndio ocorreu por volta das 14h57, na avenida Surumu, bairro Mecejana, atrás de uma loja de material de construção, em um terreno baldio que pertence a uma empresa. Segundo o corpo de bombeiros foi o incêndio que gerou mais dificuldades para ser contido, considerando que as equipes se depararam com muito mato no local. Não houve danos materiais.

O sexto e último registro, ocorreu às 16h16 sendo que um trator foi queimado. O veículo estava no terreno da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), por trás do Comando do Corpo de Bombeiros, bairro Pricumã. O fogo foi contido rapidamente. (J.B)

Autoridades consideram incêndios como criminosos 

Em coletiva de imprensa, realizada na tarde de ontem, na sede do Comando de Policiamento da Capital (CPC), muitos questionamentos foram feitos às autoridades da segurança do Estado. A reportagem da Folha perguntou se o crime tinha relação com facções criminosas, por conta do modus operandi e por conta de visitas na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), cujos mandantes poderiam ser presidiários.

O comandante Geral da Polícia Militar, coronel Elias Santana, explicou que nenhuma possibilidade seria descartada e que os casos ainda serão investigados, mas que não foram registradas ligações telefônicas partindo de dentro dos presídios, por isso, a princípio, não se acreditava na hipótese dos crimes terem sido encomendados por detentos.

Na coletiva de imprensa, o coronel Jean Cláudio ressaltou que seis equipes foram divididas para  fazer a contenção dos incêndios e que cerca de 30 combatentes estavam envolvidos nas ações. Todas as viaturas disponíveis de Trem de Socorro foram usadas para atender à demanda simultânea.

Além de Santana, também estavam presentes na coletiva o coronel Guimarães Damasceno do Comando de Policiamento da Capital (CPC); o coronel do Corpo de Bombeiros, Jean Cláudio; o secretário de Segurança Pública (Sesp), delegado Márcio Amorim, e o delegado-geral de Polícia Civil, Herbert Cardoso (J.B)

“Toquei fogo apenas no prédio da CAERR”, contou suspeito

O suspeito foi identificado como Thiago da Silva Sales, de 30 anos, vulgo “Tierry”. Ele foi preso em flagrante pela equipe da Força Tática da Polícia Militar, no bairro Mecejana, por volta das 16h40 de ontem.

Em coletiva à imprensa, Tiago estava bastante alterado e falou sobre suas motivações. Ele informou que praticou um único incêndio, sendo no prédio da CAERR, e que não sabe quem foram os autores dos demais crimes.

A motivação, segundo ele, é a atual situação do governo que não paga terceirizados, condição que ele chamou de “crise”. Ao ser questionado se ele era funcionário de empresa terceirizada e se tinha valores a receber, informou que não é empregado, que mora na rua, não trabalha e é usuário de drogas. “Não é revolta, foi um momento de ‘loucura’”, revelou.

“Não vou sair tocando fogo na cidade toda. Ninguém me mandou fazer nada. Fiz sozinho. Sou usuário de drogas e hoje usei solvente. Para incendiar eu usei óleo diesel que encontrei lá mesmo, na CAERR, no meio do material jogado”, confessou. Eu estava passando e deu a loucura. Não planejei nada. Eu não sei quem incendiou os outros locais. Como eu vou me locomover de um lado para o outro rapidamente? Eu só admito da CAERR”.

A Polícia ressaltou que não encontrou nos bancos de dados qualquer informação de que o indivíduo tivesse relação com o crime organizado, mas que ele já tinha sido preso pelas práticas de receptação e roubo, e havia sido posto em liberdade, mediante alvará de soltura, no dia 02 deste mês.

Informações – Folha de Boa Vista

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here