O decreto de calamidade na Saúde pública de Roraima foi prorrogado por mais 90 dias pelo governador Antonio Denarium (PSL). O novo prazo passou a contar a partir da publicação no Diário Oficial dessa segunda-feira (27).

A publicação do decreto original, feito em fevereiro deste ano, colocava a Saúde em calamidade “em face da crise humanitária e violência na Venezuela [após o fechamento da fronteira] impactando o serviço de saúde nos hospitais do estado localizados nos municípios de Pacaraima e Boa Vista”.

Embora tenha sido estendido por mais três meses, parte da nova publicação diz que a situação é “prorrogável enquanto permanecerem as circunstâncias causadoras do colapso do sistema de Saúde”.

O primeiro decreto foi publicado em 25 de fevereiro, logo após conflitos na fronteira de Pacaraima e Santa Elena de Uairén. Na época, o governador, Antonio Denarium (PSL), afirmou que não havia mais como atender as vítimas que chegavam ao Hospital Geral de Roraima.

Com o decreto, o governo pretendia ter mais facilidade para realização de compras emergenciais de medicamentos e de materiais médico-hospitalares, a fim de atender à população local e aos imigrantes.

‘Dificuldades em realizar compras’, diz governo

A Secretaria de Saúde afirmou em nota que a prorrogação do decreto de calamidade ocorreu devido a necessidade em dar continuidade e manutenção dos serviços essenciais e indispensáveis, bem como das despesas de programas e serviços públicos de duração continuada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here