Na denúncia de mais de 120 páginas do Ministério Público de Roraima (MPRR), em desfavor de Jalser Renier, presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), há confirmação de que a principal empresa ganhadora de licitações, Construtech, recebeu R$ 6.848.095,05 em recursos públicos para prestar serviços sem ter, sequer, um funcionário contratado entre os anos de 2013 e 2016.

De acordo com o MP, Jalser era o líder da organização criminosa

Há diversos elementos de prova que demonstram o envolvimento e liderança de Jalser
Renier na Organização criminosa.

O fato de emitir sucessivas ordens de pagamento em processos licitatórios flagrantemente
ilegais e assinar cheques de até R$ 600.000,00 em contratos desprovidos de qualquer
contraprestação de serviços, já deixa certo o seu envolvimento direto na OrCrim.

Não bastasse isso, ainda foi encontrada anotação na agenda de Verona Sampaio Rocha,
ex-presidente da Comissão Permanente de Licitação da ALE/RR e pessoa de estreita
confiança do Deputado Jalser Renier, de um repasse em espécie em seu favor no valor de
R$ 728.000,00, no dia 28 de abril de 2016.

Ao constatar a imensa desproporcionalidade entre a renda do presidente da Assembleia
Legislativa de Roraima e o seu patrimônio pessoal, não resta dúvida sobre a atuação dele
no esquema criminoso. A maior parte do patrimônio de Jalser Renier se encontra em
nome de “laranjas”. Foram rastreados 339 imóveis em nome de Carlos Olímpio Melo da
Silva, operador financeiro de Jalser, e 29 imóveis em nome de Cynthia Lara Gadelha
Padilha, esposa do presidente da ALE/RR.

Foto: Reprodução/Rede Amazônica em Roraima

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here