O Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR) ofereceu, no último dia 18, denúncia contra 17 pessoas por desvios de dinheiro público da Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR). no âmbito das operações “Cartas Marcadas” e “Royal Flush”, deflagradas pelo Gaeco, em junho de 2016 e janeiro de 2019, respectivamente.

Com as investigações e a delação premiada de um dos envolvidos, após a Operação “Cartas Marcadas”, foi identificada a participação do denunciado Jalser Renier Padilha, presidente da ALERR, a partir de janeiro de 2015, estruturou e aperfeiçoou o esquema criminoso de desvio de recursos públicos do parlamento estadual, realizado por meio de processos licitatórios simulados.

Trecho da denúncia oferecida à Justiça pelo MPRR

O Ministério Público emitiu nota com explicações sobre a Organização Criminosa

O esquema de fraudes e a OrCrim

 O Ministério Público do Estado analisou 36 procedimentos licitatórios apreendidos durante a Operação “Cartas Marcadas”, constatando desvios de dinheiro público que, somados, chegam ao expressivo valor de R$ 23.679.166,74 milhões, entre os anos de 2013 e 2016.

A organização criminosa era dividida entre quatro núcleos, cada um com papel diferenciado. A investigação levada a cabo na operação “Cartas Marcadas” já havia identificado três núcleos criminosos, quais sejam, o Núcleo de Agentes Públicos, o Núcleo Empresarial e o Núcleo de Operadores Financeiros e Laranjas.

Com o aprofundamento da apuração criminal, chegou-se ao quarto e mais relevante Núcleo Criminoso, o Núcleo Político.

Veja o teor da denúncia do MP:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here