Governo contrata empresa de táxi aéreo por mais de R$ 17 milhões

A assinatura do contrato foi realizada no dia 25 do mês passado, pelo secretário de Segurança Pública, Coronel Edison Prola e, de forma eletrônica, pelo responsável da empresa contratada

O governo de Roraima, por meio da Casa Militar, contratou uma empresa de táxi aéreo por mais de R$ 17 milhões para fornecer serviços ao estado. O resultado da licitação, com a contratação da empresa Voare, foi publicado no Diário Oficial da última terça-feira (15).

Além da Casa Militar, que tem status de secretaria e é ligada diretamente ao governador Antonio Denarium (sem partido), a empresa contratada deve atender a demandas da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e as secretarias de Saúde e Educação.

O valor total do contrato foi de R$ 17.991.240. Desse montante, a Educação é a secretaria que deve ficar com o maior valor: R$ 11,8 milhões, seguido da PM e Bombeiros com exatos R$ 871.920, cada; e a Sesau e a Casa Militar com R$ 544.950, cada.

Em nota, o governo informou que o processo de licitação foi global “feito via pregão com uso do ComprasNet, de livre participação nacional”. Disse também que “só será paga a hora de voo utilizada e a não utilizada não será efetuado pagamento”.

O edital prevê que a empresa contratada forneça voos de helicóptero com capacidade mínima para cinco pessoas e um tripulante, monomotor com com capacidade mínima de cinco passageiros e um tripulante, além de monomotor com capacidade para nove passageiros e um tripulante.

O dono da Voare Táxi Aéreo, Renildo Lima, disse que a licitação abrangerá departamentos do governo que anteriormente não tinham contratos e que o helicóptero disponibilizado pela empresa possui Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) aérea.

“O governos recebe demandas para fazer urgência e emergência em aviões e helicóptero. Antes não tinha helicópteros em Roraima, quando eles faziam as licitações sempre davam ‘deserto’ e os recursos voltavam, a comunidade ficavam sem os serviços. Nossa empresa adquiriu um helicópteros agora e hoje se houvesse a necessidade de um acidente a empresa hoje pode oferecer uma aeronave inclusive com UTI aérea”, disse Renildo Lima.

O contrato tem vigência de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período até o limite de 60 meses.

Informações: G1 Roraima