Quadrilhas relembram no tablado tradições e memórias de antigos arraiais

Na quinta noite de festejos do Boa Vista Junina 2017, nesta quarta-feira (21), seis quadrilhas fizeram um tributo aos arraiais antigos, retratando através da dança, da música e da poesia um pouco da cultura do sertão. A festa começou às 19h30, e a primeira a se apresentar foi a Quadrilha Agitação Caipira, com o tema “Recordar e viver as noites lindas de São João”.

 

Quadrilha Agitação Caipira | Foto: Eduardo Andrade


 
Com uma proposta mais tradicional, a Agitação relembrou a vida dos sertanejos dos primórdios do país, com elementos que ficaram marcados na mente do povo da roça, como cirandas e cantigas de roda. Alegria, romance e as dificuldades da vida do “matuto” também foram evocados na apresentação.
 
Em seguida, foi a vez da Coração do Sertão , de São Luiz do Anauá , mostrar todo o seu talento no arraial. Com a mesma ideia do grupo anterior, a quadrilha também destacou no tablado as tradições juninas, sem abrir mão de sanfona, triângulo e zabumba que marcam os bons e velhos baião e xote.
 

Quadrilha Coração do Sertão | Foto: Eduardo Andrade


 
A terceira apresentação da noite deu um foco especial na religiosidade, mais precisamente da região norte. A Explosão Junina destacou o Círio de Nazaré, que no Brasil teve início em Belém (PA) e que homenageia Nossa Senhora de Nazaré no segundo domingo do mês de outubro. E se tratando do Estado do Pará, não poderia faltar carimbó, guitarrada e calipso.
 

Quadrilha Explosão Junina | Foto: Andrezza Mariot


 
Paraense de Ananindeua, a dona de casa Maria Luíza de Moura ficou encantada com a homenagem feita pela quadrilha à santa de quem ela é devota. “Foi muito linda a apresentação. Eu que a vida toda participo do Círio, foi um prazer enorme ver o que a quadrilha fez”.
 
A quadrilha Perdidos na Roça, por sua vez, fez um tributo à “Morte e Vida Severina”, poema do escritor brasileiro João Cabral de Melo Neto que conta a história de Severino e sua trajetória em busca de uma vida melhor. O grupo buscou com a apresentação reforçar a ideia de que todo esforço pode conduzir ao sucesso.
 

Quadrilha Perdidos Na Roça. | Foto: Andrezza Mariot


 
A quinta quadrilha a subir no tablado foi a Zé Monteirão, que trouxe ao público a história de uma das maiores musicistas do país, Chiquinha Gonzaga. Além de destacar uma peça importante da cultura brasileira, o grupo também enfatizou o papel da mulher em sua luta pela igualdade e valorização dentro da sociedade.
 

Quadrilha Zé Monteirão. | Foto: Andrezza Mariot


 
Para encerrar a noite de apresentações nesta quarta-feira, a quadrilha Explosão Caipira buscou inspiração na mitologia greco-romana, com o tema “Uma viagem ao reino das águas”, onde retratou o mito das sereias e o mundo de fantasia em torno do universo submarino.
 

Quadrilha Explosão Caipira. | Foto: Eduardo Andrade


 
Para o superintendente de Cultura da Fetec, Enos Almeida, as quadrilhas têm liberdade de escolha dos temas que são abordados, de forma que aliem a festa de São João às diversas culturas existentes para trazer um brilho diferente ao Boa Vista Junina.
 
“Sempre me refiro ao nosso festival como uma ópera junina., com vários elementos culturais importantes e uma diversidade artística. Temos aqui temas interessantes que são abordados de forma genial, desde o universo da fantasia, até homenagens a personagens importantes da nossa história. Então, para nós é gratificante ao ver as quadrilhas se desenvolvendo e mantendo a linha de um evento único no Brasil e no mundo”.
 
Programação : Quinta-feira (22)
E nesta quinta-feira (22), a festa continua com a banda Edição de Papelão e o Músico Marcelo Moçambite no Palco Principal, das 19h às 21h. Na Sala de Reboco, Neto Andrade agita com muito forró pé de serra a partir das 21h. E às 23h, o cantor Estevão Alves sobe ao Palco Principal levando sertanejo universitário.
 
Na Arena Junina, a alegria começa às 20h, com as quadrilhas Arrastão Cantá Junino, Quadrilha do Conviver e em seguida, a apresentação dos destaques quadrilheiros dos grupos juninos. A festa termina com a Banda Brasileirinho e Irlan Guimarães com o show “Grande Roda” previsto para as 23h.
 
Foto Destaque: Eduardo Andrade

Veja também

Top