Sem internet, serviços nas delegacias de polícia como inquéritos ligados ao Sistema ProJudi (Processo Eletrônico do Judiciário) estão prejudicados

A disponibilidade de internet no 2º Distrito, 3º Distrito e 4º Distrito, e em algumas delegacias especializadas da Polícia Civil está suspensa devido ao rompimento de um cabo de fibra óptica, ocorrido depois de uma podagem de árvores realizada na cidade. Sem internet, serviços como inquéritos ligados ao Sistema ProJudi (Processo Eletrônico do Judiciário) estão prejudicados.

Para tentar solucionar esse problema e restabelecer os serviços, uma comitiva formada pelo delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso, o delegado Adriano Severino, titular do 3º DP, e o diretor do Departamento de Administração Polícia Civil, Jimmy Santana, se reuniu na última sexta-feira, 10, com a presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Elaine Bianchi.

O delegado geral propôs a presidente do Tribunal de Justiça uma parceria para que sejam disponibilizados serviços de manutenção da rede de fibra óptica que atende às delegacias da PCRR. A presidente Elaine Bianchi informou que avaliará a viabilidade de atender à solicitação, assim que for liberado o orçamento do órgão.

Outra solicitação da PCRR, durante a reunião, foi a análise da possibilidade de realização de audiências de custódias no município de Pacaraima, diminuindo os custos de deslocamentos da equipe até a capital e dando agilidade aos trabalhos da delegacia. Esta é uma das medidas que fazem parte do plano para reforçar as ações de segurança na fronteira, discutido em Pacaraima na quinta-feira, 9, com representantes das Forças de Segurança do Estado.

A desembargadora Elaine Bianchi colocou à disposição das delegacias de Polícia do interior o sistema de audiência on-line do TJ existente nos municípios. Desta forma, as oitivas poderão ser realizadas com agilidade, dando celeridade ao trabalho policial.

Também foi solicitado um link de internet para Pacaraima e para os demais municípios do Estado. Se o pedido for atendido, os serviços das delegacias, integrados com o Tribunal de Justiça por meio do sistema Projudi, passam a ser totalmente digitais.

Outro assunto discutido no encontro foi o repasse dos valores arrecadados com os leilões de materiais apreendidos pela Polícia Civil. “Pela legislação, parte dos valores arrecadados com bens apreendidos pela Justiça, que vão a leilão, devem ser repassados aos Fundos da Polícia Civil. Assim que todo procedimento for regulamentado, os repasses deverão ser regularizados”, explicou o delegado Herbert de Amorim.

Fonte: Roraima em Foco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here