Os casos de dengue voltaram a assustar autoridades da saúde de Roraima. Até meados de junho, 942 casos de dengue foram notificados em todo estado e 111 confirmados. No comparativo, em 2018 foram 85.

Em abril, o Ministério da Saúde divulgou que os casos de dengue cresceram 6,86% no primeiro trimestre em comparação com mesmo período do ano passado.

Para a gerente do Núcleo de Febre Amarela, Dengue, Zika e Chikungunya da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde da Sesau, Rosângela Santos, esses aumentos não possuem um motivo comprovado, mas existem hipóteses.

“Uma delas pode ser do próprio ciclo do mosquito. Ele tende a ter dois anos de alta proliferação e um de baixa. 2018 pode ter sido o ano de baixa, levando em conta os dados dos dois anos anteriores. Também pode ser que devido ao surto de sarampo no ano passado, muitos que foram descartados da confirmação da doença podem não ter sido examinados quanto à possibilidade de terem dengue, uma vez que as duas doenças possuem sintomas semelhantes. Mas não temos como realmente saber sem um estudo mais aprofundado”, conta.

Além da capital, os municípios de Rorainópolis, Alto Alegre, Caracaraí, Caroebe e Mucajaí são os que possuem maior índice de infestação. “Os trabalhos de prevenção do mosquito devem ser contínuos e observamos que no ano passado houve um relaxamento dos municípios devido a diminuição de casos”, explica Rosângela.

Infestação na capital

Apesar de ser um município de baixa incidência de infestações, Boa Vista ainda concentra a maior parte dos casos notificados (456 de 942) e confirmados (75 de 111) do estado.

“Isso pode ter algo a ver com a própria concentração demográfica de pessoas, além de haverem casos de pacientes que são de outros municípios, mas são notificados na capital. Mesmo assim, isso também aponta falta de prevenção da população”, afirmou a gerente.

Boa Vista possui onze bairros considerados de médio índice de infestação do Aedes aegypti. São eles:

  1. Santa Luzia
  2. Silvio Botelho
  3. Santa Tereza
  4. Liberdade
  5. São Vicente
  6. Laura Moreira
  7. Caranã
  8. Araceli
  9. Caimbé
  10. Buritis
  11. Jardim Floresta

Combate ao mosquito

A gerente do Núcleo de Febre Amarela, Dengue, Zika e Chikungunya da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde da Sesau, Rosângela Santos, explica que a população deve se atentar a água parada em locais de comum proliferação do Aedes aegipty. Alguns deles são em lixos, vasilhas, bebedouros, vaso de plantas, baldes e caixas d’água.

“Mosquitos da dengue sempre se adaptam. Hoje em dia eles já se proliferam colocando ovos em água de esgoto, poças de lama, coisa que não ocorria há alguns anos atrás. Eles também se tornam cada vez mais resistentes aos fumacês, sendo necessária a troca deles com frequência”, informou.

Informações – G1 Roraima – Foto: Pixabay

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here