A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) emitiu nota de repúdio, nessa segunda-feira (9), ao que classificou como “morosidade” do governo de Roraima e do Tribunal de Justiça (TJRR), em elucidar o assassinato do policial rodoviário do Amazonas Ivo Seixas Rodrigues, de 46 anos, ocorrido no dia 7 de abril de 2018.

Segundo a nota, a lentidão nos trâmites tem permitindo que todos os envolvidos no crime ainda permaneçam em liberdade. Além disso, cita que o fato de o processo seguir em segredo de justiça é injustificável e dificulta o acompanhamento do caso pela família e colegas de trabalho que clamam por justiça.

“Para aumentar a sensação de impunidade e absoluto descaso com o homicídio de um policial cometido por outros policiais, o governo de Roraima mantém na função de diretor do Departamento de Operações Especiais da Polícia Civil um dos envolvidos diretamente no crime” cita trecho a nota.

Ainda segundo a Federação, o delegado Paulo Henrique Tomaz Moreira chefiava a ação que culminou na morte de Ivo, e responde atualmente, entre outros crimes, por tráfico interestadual de drogas e pelo homicídio.

A entidade afirma que o delegado é um dos envolvidos na tentativa de forjar e manipular a cena do homicídio para incriminar o policial rodoviário, o que teria sido apurado na Operação Farsa, da Polícia Federal.

“Ao manter um dos agentes públicos envolvidos em um assassinato e outros crimes ocupando cargo de relevância e importância nas atividades de Combate ao Crime Organizado, Tráfico de Drogas e Operações Especializadas no âmbito do estado de Roraima, o governo aparenta ironizar da dor dos familiares, e agride frontalmente os colegas policiais e profissionais de segurança pública e toda a sociedade”, sustenta a nota.

O CRIME

A morte do policial rodoviário ocorreu quando a Polícia Civil fazia investigações contra uma organização criminosa, que resultou na maior apreensão de skunk naquele ano. À época, a Civil informou ao Roraima em Tempo que Ivo estava a serviço do crime e fazia a “escolta” da droga que seria levada para o Amazonas.

O policial rodoviário teria reagido à ação policial e foi baleado. Segundo a PC, ao receber voz de prisão, ele não se rendeu, sacou a arma para atirar nos agentes, que se defenderam e o alvejaram. Em seguida, Ivo foi socorrido ainda com vida, mas não resistiu e morreu no Hospital Geral de Roraima (HGR).

SEGREDO DE JUSTIÇA

Procurado, o TJRR informou que o referido processo tramita na Vara de Entorpecentes e Organização Criminosa, e está em segredo de justiça, o que impede o repasse de qualquer informação a respeito do caso.

A reportagem entrou em contato com o governo de Roraima, mas não obteve resposta até a finalização desta matéria.

Informações – Roraima Em Tempo – Foto – Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here