Depois de surpreender o mundo da NBA ao abdicar do cargo de presidente de operações do Los Angeles Lakers no dia 9 de abril, Magic Johnson explicou nessa segunda-feira, em uma entrevista à ESPN americana, o motivo de sua saída. De acordo com o ex-manda-chuva da franquia, sua decisão foi consequência de “traição” e críticas pelas costas vindas de Rob Pelinka, Gerente Geral dos Lakers, e também da diminuição de seu poder de decisão dentro da organização.

– As coisas não estavam andando na direção correta. Foi quando eu comecei a escutar, ‘Magic, você não trabalha duro o bastante. Magic não está no escritório’. E as pessoas dentro dos Lakers estavam me dizendo que Rob falava essas coisas. Rob Pelinka. E não gostei de saber que essas coisas eram faladas pelas minhas costas. Comecei a receber ligações de meus amigos de fora do basquete, que me contavam que também estavam escutando as mesmas coisas – contou o ex-presidente dos Lakers.

O ex-presidente dos Lakers explicou também que começou a sentir que era hora de deixar o comando da franquia para trás quando percebeu que sua opinião de que o técnico Luke Walton deveria ser demitido, não tinha tanto peso na equação. Segundo Magic, após três reuniões em que opinou a favor da demissão de Walton, o resto da cúpula deu um jeito de manter o técnico. A partir do momento em que o dirigente Tim Harris, amigo de Walton, defendeu abertamente que o time não deveria demitir o treinador, Magic Johnson entendeu que a situação foi a gota d’água.

– Foi quando Tim Harris entrou nas conversas. Ele não queria a demissão, porque era amigo de Luke. Luke é um grande cara. Foi quando eu falei, ‘Esperem um minuto, eu só respondo para Jeanie Buss (dona da franquia).’ E quando Tim se envolveu, foi quando percebi que era minha hora de sair. As coisas estavam acontecendo pelas minhas costas, pensei que teria o poder de tomar as decisões e falei para eles, ‘Quando não é mais divertido para mim, quando acho que não tenho o poder de decidir que pensei que teria, é minha hora de sair – explicou Magic Johnson.

O Los Angeles Lakers teve em 2018-2019, uma das temporadas mais conturbadas de sua história, terminando a fase regular na décima posição da Conferência Oeste, com 37 vitórias e 45 derrotas, apesar da chegada de LeBron James. O astro teve a lesão mais longa de sua carreira, e o núcleo jovem não rendeu o esperado. No último dia 12 de abril, a franquia demitiu Luke Walton, e no último dia 11 de maio, anunciou Frank Vogel com Jason Kidd na comissão técnica.

Informações – SporTV.com – Foto Getty Images