Saúde da mulher é tema de conferência com entidades e profissionais da Enfermagem

Neste mês de março, o Conselho Municipal de Saúde está se reunindo com diversos seguimentos da sociedade para discutir e levantar propostas sobre o tema “Saúde das Mulheres”. O terceiro encontro das Conferências Livres ocorreu neste sábado (18), no Centro de Ciências da Saúde – CCS/UFRR, com representantes das entidades de Enfermagem do Estado de Roraima, acadêmicos e profissionais da área. As propostas em discussão serão levadas para a 1a Conferência Municipal da Saúde das Mulheres, que acontece de 17 a 19 de maio.

 
Os encontros estão ocorrendo em bairros, por entidades ou por categorias. “Já estivemos no HGR com os pacientes de oncologia. Também com as mulheres da Central Única dos Trabalhadores. E agora estamos oportunizando as mulheres do seguimento enfermagem para colocar suas posições e ideias”, disse o conselheiro municipal e estadual de saúde e coordenador de plenária, Roberto Moraes.
 
As Conferências Livres são realizadas pelo Conselho Municipal de Saúde, em parceria com sindicatos, grupos representativos de mulheres, associações e unidades hospitalares. Nesta conferência livre em especial, participaram Maceli Carvalho, da Associação dos trabalhadores em Enfermagem (Assoten), Josias Ribeiro Neves, presidente do Conselho Regional de Enfermagem (COREN/RR) e Melquisedek Meneses, presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Roraima (Sindeprer).
 
“Hoje estamos reunidos em parceria. As mulheres são maioria em quase todos os setores. No caso da enfermagem, elas trabalham às vezes, duas ou três jornadas diárias, são incansáveis. E não se vê hoje uma política voltada específica para a saúde dessas mulheres. Daqui vai sair propostas que irão se juntar a outros segmentos do controle social, para serem discutidas nas conferências municipal, regional e nacional”, ressaltou o presidente do COREN/RR, Josias Ribeiro.
 
O presidente citou ainda que as mulheres da enfermagem no Estado representam mais de 80% dos profissionais da área, ou seja, de 7 mil, cerca de 5,8 mil são mulheres. O percentual não é diferenciado a nível nacional. Conforme uma pesquisa no Perfil Profissional da Enfermagem, hoje no Brasil, são mais de dois milhões de profissionais da área, sendo 80% mulheres, ou seja, 1,8 milhões são mulheres no país.
 
Para a técnica em enfermagem e fisioterapeuta, Rosa Ribeiro, de 45 anos, o momento é de expor tudo aquilo que é necessário para garantir os direitos da mulher na sociedade, tanto na área da saúde como no geral. “É importante essa conferência porque ela dá uma visão maior para aquilo que há necessidade para a mulher. Nós precisamos de atenção específica por conta do papel que desempenhamos na sociedade. Com certeza vamos levantar propostas que futuramente poderão virar políticas públicas”, disse.
 
De acordo com o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Ricardo Matos, a intenção é ouvir as bases, a sociedade em geral e não só a comunidade profissional. “Estamos nos reunindo para buscar e discutir problemas com soluções pautadas. Vamos deixar de ficar na zona de conforto, só levantando problemas e não participando das soluções. Hoje está participando o seguimento de enfermagem, depois pode ser outro e assim vamos buscando estratégias nesse sentido”, destacou Matos.
 
Foto: Jackson Souza

Veja também

Top