Roraima receberá mais 20 mil doses da vacina para febre amarela

Roraima receberá mais 20 mil doses da vacina para febre amarela. | Foto: Divulgação

Para intensificar o trabalho de prevenção contra a Febre Amarela, o Ministério da Saúde enviará mais de 20 mil vacinas para o Estado de Roraima. Neste ano, o Governo Federal já destinou mais de 48,5 mil doses, no entanto a demanda dos municípios pela vacinação aumentou, superando as expectativas.

 
Por este motivo, a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) fez um pedido emergencial de mais doses da vacina, que serão enviadas até o final do mês e em seguida, serão distribuídas aos municípios.
 
“A procura pela vacinação cresceu muito porque as pessoas estão com medo deste surto da febre amarela no país, logo o nosso estoque diminuiu consideravelmente”, explicou a enfermeira do Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunizações (NEPNI), Larissa Ignachitti.
 
No município de Rorainópolis, onde foi registrada a morte de um primata pela doença, em menos de três semanas foram enviados aproximadamente 2,5 mil doses. Em alguns dias, os postos município chegaram a registrar 300 aplicações da vacina em apenas um dia.
 
Nesta semana, o NEPNI está distribuindo as doses nos municípios de Pacaraima, Uiramutã, Alto Alegre, Bonfim, Amajari e Normandia, por meio de um caminhão refrigerado, com todos os requisitos necessários para garantir a segurança e a eficácia das doses, diminuído as perdas. No entanto, se houver necessidade imediata, os municípios podem fazer a solicitação e buscar as vacinas diretamente no NEPNI.
 
Atualmente o Estado de Roraima encontra-se com um cobertura vacinal de 85,77%, um índice considerado satisfatório pelo NEPNI.
 
Afinal, quem precisa tomar vacina contra a febre amarela?
Os casos de febre amarela têm despertado muitas dúvidas na população e uma corrida às unidades de saúde. O SUS (Sistema Único de Saúde) oferta a vacina contra a doença e é essa a melhor forma de prevenção. Doadores de sangue, ao serem vacinados, só podem voltar a doar após quatro semanas.
A vacinação está disponível nas unidades de Atenção Básica, mas é importante verificar a necessidade de tomar a vacina. O Brasil adota o esquema de duas doses da vacina, ou seja, duas doses são suficientes para manter o cidadão livre da doença. Mas afinal?! Quem precisa realmente tomar a vacina? Confira a indicação para a imunização.
 
Na infância
Crianças de seis a nove meses incompletos devem ser vacinadas somente em situação de emergência epidemiológica ou viagem para áreas de risco. Dos nove meses até os cinco anos, uma dose deve ser tomada aos nove meses e outra aos quatro anos. Caso a criança não tenha sido imunizada aos nove meses, deve tomar as duas doses com intervalo de 30 dias. Assim, a proteção está garantida para o resto da vida.
 
A partir de 5 anos
Quem deixou de tomar as doses na infância deve fazê-lo a partir dos cinco anos. Quem tomou somente uma dose precisa de outra de reforço, mesmo que seja adulto. Quem nunca foi vacinado ou não possui o cartão de vacinação, é preciso receber a primeira dose e, após 10 anos, tomar a segunda dose. Se você tomou a vacina a menos de 10 anos não precisa se vacinar. Duas doses da vacina o imunizam por toda a vida.
 
Idosos
Em pessoas com mais de 60 anos, que nunca se vacinaram ou não possuem o comprovante de imunização, só é permitida a aplicação da dose após avaliação médica.
 
Contraindicações
A vacinação é contraindicada para gestantes, porque há um pequeno risco de desenvolver infecção. Na impossibilidade de adiar a vacinação, como é o caso de viagens a áreas de risco, o médico deverá ser consultado e avaliar o risco da vacinação. No caso de mães lactantes que tenham tomado a vacina, o aleitamento materno deve ser suspenso por 28 dias após a imunização, já que a vacina é contraindicada para crianças de até seis meses.
 
Turistas
Para quem vai fazer uma viagem internacional, é preciso seguir as recomendações do Regulamento Sanitário Internacional. No caso de viagens para a Venezuela, por exemplo, é exigida a vacinação. Se a viagem for para dentro do Brasil às áreas onde é recomendada a vacina, é necessário tomar a dose com pelo menos 10 dias de antecedência.
 
Fonte: Governo de Roraima | Foto: Divulgação

Veja também

Top