O valor de mercadorias apreendidas aumentou 39,43% no primeiro semestre deste ano, se comparado com o montante dos primeiros seis meses de 2019, de acordo com levantamento da Receita Federal divulgado nesta segunda-feira (27) para o G1.

De janeiro a junho, as mercadorias apreendidas somam R$ 2.777.158, 79. Os eletrônicos correspondem a 19,2% da quantia, enquanto veículos somam 10,4%, seguidos de itens de informática com 9,1%. Bolsas e acessórios chegam a 3,1%, enquanto vestuário é 3% do total.

No mesmo período de 2019, foi apreendido o equivalente a R$ 1.991.784,93 em mercadorias irregulares. Veículos correspondiam a 31,4% da quantia, enquanto eletrodomésticos a 6,2%, bolsas e acessórios 3,7%, cigarros e similares 2,7% e vestuário (2,6%).

De acordo com o delegado da Receita Federal, Paulo Roberto, após a apreensão, as mercadorias podem ser leiloadas, doadas para órgãos e entidades públicas, ou, até mesmo, destruídas.

“Os itens apreendidos são mercadorias fruto de descaminho ou contrabando. O número de apreensões feitas tanto na fronteira, quanto nos correios, é quase o mesmo hoje”, disse.

Informações: G1 Roraima – Foto: Divulgação/Receita Federal RR