Foto Marcelo Marques

A Polícia Civil informou na tarde desta quarta-feira (10) que o esquema de desvio de dinheiro investigado na operação Fox na Companhia de Desenvolvimento de Roraima (Codesaima) pode chegar aos R$ 11 milhões.

A ação foi deflagrada pela manhã e cumpriu 12 mandados de busca e apreensão, sendo oito Roraima e quatro no Amazonas. Os alvos, que não tiveram os nomes divulgados porque a investigação corre em sigilo, foram empresários e servidores públicos.

Foram apreendidos 23 computadores, dois notebooks, documentos tais como procedimentos administrativos e licitatórios. Os resultados da ação foram apresentados em coletiva de imprensa em Boa Vista.

De acordo com o delegado geral de Polícia, Herbert de Amorim Cardoso, os desvios ocorreram em contratos datados de 2018, quando a Codesaima esteve sob intervenção por uma decisão da Justiça do Trabalho.

Policiais cumprem mandado de busca e apreensão em casa no Cidade Satélite — Foto: Marcelo Marques/G1 RR

Segundo Amorim, as licitações fraudulentas eram firmadas entre a companhia e empresas do Amazonas para execução de serviços em estradas, como terraplanagem. As firmas, no entanto, não prestavam os serviços pelos quais eram contratadas, mas atestavam documentos de execução de obras e eram pagas pela Codesaima com o aval de servidores da Companhia.

“A investigação começou à época da intervenção federal no estado, quando o general Eduardo Pazuello [nomeado para a Secretaria da Fazenda] ordenou que fizéssemos auditoria nos órgãos do estado em busca de ilegalidades”, disse o delegado Herbert de Amorim

Ele citou que quatro mandados foram cumpridos na presidência, setor financeiro e em outras diretorias da Codesaima. As investigações foram conduzidas pelo Departamento de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública.

“Não podemos divulgar o nome dos envolvidos, mas alguns já se mostraram favorável a uma delação premiada. Outras operações podem ocorrer. A suspeita é de que R$ 11 milhões teriam sido desviados da Codesaima e temos de saber quem são esses culpados”, declarou.

Informações G1 Roraima