Mas afinal, o que falta para termos novas eleições para Governo de Roraima?

Depois de três vezes cassado por processos diferentes, o Governador Antonio Denarium dá sinais de que está “limpando as gavetas” de seu Gabinete, pois a esse ponto até seus aliados mais próximos já consideram que a situação não vai ser revertida em Brasília.

Os recursos apresentados para o TSE que insistem em querer indicar supostas irregularidades nos processos, não mais se sustentam, pois o principal argumento era de que o Vice-Governador Edilson Damião não tinha sido incluído como réu, sendo que agora essa terceira cassação na AIJE que foi julgada dia 22/01/24, foi proposta também contra Damião.

E então, o que falta para termos novas eleições para Governo de Roraima?

Os três processos em que o Governador foi cassado estão em etapas diferentes em relação aos recursos cabíveis contra a decisão.

O primeiro, referente às cestas básicas distribuídas em ano eleitoral (conduta vedada), já está pronto para ser remetido eletronicamente para o TSE, com os recursos apresentados e as contrarrazões do AVANTE também.

Recentemente foi publicada a intimação no sistema do TRE (dia 22/01/2024), primeira providência para que o recurso possa ser remetido a Brasília. Como é de praxe em todo processo eletrônico, a remessa se dá através de mero comando realizado pela Secretaria do Tribunal no sistema de informática, o que, em média, tem ocorrido em uma semana após a publicação da intimação.

Ou seja, a expectativa é de que até o dia 29/01/2024 isso possa ocorrer.

Sendo eletrônico o processo, no mesmo dia ocorre a distribuição para Relator no TSE, no caso, em razão de regra do Regimento Interno será distribuído o recurso para a atual Corregedora do TSE, Min. Isabel Gallotti.

Embora o Governador tenha o direito de permanecer no cargo até o julgamento do recurso pelo TSE, o fato dele ter sido cassado determina que o processo tenha preferência sobre todos os outros, o que indica que em breve teremos a decisão final e a convocação das eleições suplementares, para as quais Denarium não poderá concorrer por ter sido declarado inelegível.

Que os políticos de Roraima entendam a mensagem da Justiça Eleitoral ao cassar por três vezes o atual Governador: Comprar voto, dá cassação, prometer reforma na casa do cidadão em ano eleitoral, dá cassação, transferir dinheiro para Prefeituras amigas para comprar apoio político, dá cassação!

Os tempos de Polícia controlada pelo Governo Federal acabaram, os tempos das velhas práticas de eleições em que o dinheiro fala mais alto que a capacidade de gestão, acabaram.

Uma coisa todos já sabem entre aqueles que parece que se apresentaram como pré-candidatos: “Cuidado com a Cuca que a Cuca te pega, te pega daqui, te pega de lá”!

Roraima não pode mais ser comprada por 300 reais, precisamos de gestão e de soluções para nosso povo, em breve as novas eleições vão nos dar essa chance de mudar o futuro de nossas crianças e colocar nosso estado onde ele merece estar.