Prefeitura de Boa Vista antecipa distribuição de calcário aos produtores

Principal finalidade do calcário é corrigir o solo que será cultivado pelo produtor; objetivo é que até 2023 áreas já estejam prontas com o produto aplicado

Objetivo é que em 2023 todas as áreas já estejam prontas com o produto aplicado/Foto: Divulgação PMBV

A Prefeitura de Boa Vista, antecipou a distribuição do calcário para os produtores tanto da capital quanto da zona rural e comunidades indígenas.

Dessa forma a Prefeitura já atendeu, 555 famílias com área em mais de 898 hectares. Eles receberam correção de solo ou plantio de diversas culturas que abastecem o mercado de Boa Vista e de também de Manaus.

Assim, a ação é feita pela equipe da Secretaria Municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas (SMAAI). Conforme o secretário Guilherme Adjuto, o objetivo é que em 2023 todas as áreas já estejam prontas com o produto aplicado.

“O calcário necessita de um tempo para reagir no solo.Corrigindo a acidez e disponibilizando Cálcio e Magnésio para a lavoura. De maneira assertiva, o produtor poderá plantar no período indicado e com a melhor condição de solo para o desenvolvimento de cada cultura”

Funções

Do mesmo, a função do calcário é é corrigir o solo que será cultivado pelo produtor. Quem explicou foi o engenheiro agrônomo Fábio Guths.

“O calcário busca diminuir a acidez e neutraliza o alumínio tóxico, fator fundamental para que os demais nutrientes presentes no solo fiquem disponíveis para as plantas. […] Sendo a fonte mais barata para o fornecimento destes nutrientes” disse.

Por fim, a Elizângela Araújo tem uma propriedade na região do Truaru, que fica na vicinal 4 e é uma das beneficiadas da Prefeitura de Boa Vista, por meio do financiamento do PMDA. Neste mês de novembro, recebeu as máquinas para a distribuição e incorporação do calcário. Ela produz milho e feijão e já planeja dobrar sua produção para o ano que vem.

“É uma maravilha esse apoio que nós produtores recebemos da Prefeitura com o PMDA, e a nossa terra precisa de insumos. Sem eles, não produzimos e o calcário vale ouro para nós que vamos cultivá-la, para termos uma boa produção”, disse.