Preocupado com o aumento no número de novos casos da Covid-19 no Amazonas, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), se pronunciou nesta segunda-feira (28) em suas redes sociais.

Ele sugeriu medidas mais severas para tentar conter a doença no estado, entre elas decretar lockdown pelo período de duas semanas.

Com bases em dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e das próprias Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital, Arthur se posicionou a favor do isolamento total da sociedade amazonense.

Diante desse quadro, já disse ao governador do Estado que sou a favor de se decretar lockdown por duas semanas na capital. É hora de agir com prudência e de maneira preventiva para evitar uma situação pior. Proponho uma parceria efetiva e com um único objetivo: salvar vidas!”, diz um dos posts do prefeito.

Para o prefeito de Manaus, é preciso crer na ciência, fonte que ele considera importante para que governantes tomem as decisões necessárias, para conter o avanço da Covid-19. Arthur citou, ainda, a pesquisa da Fiocruz, que indica a chegada da segunda onda da pandemia na cidade.

“Não posso dizer que já há uma segunda onda, mas confio na Fiocruz. Não sou cientista, não posso assegurar cientificamente, mas eu temo essa segunda onda”, alertou.

O Amazonas chegou na marcar de 136.708 casos da doença, sendo 50.016 de Manaus (36,59%) e 86.692 do interior (63,41%). Só nesta segunda, foram registrados 292 novos casos, além da confirmação de quatro óbitos por Covid-19, elevando para 4.031 o total de mortes, segundo os dados do boletim Covid-19 da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Recentemente, o prefeito reforçou medidas de prevenção para evitar aglomerações, como o fechamento da praia do complexo turístico Ponta Negra, e a intensificação de fiscalizações sanitárias junto ao comércio.

No dia 24 de setembro, o Governo do Amazonas suspendeu, no prazo de 30 dias, o funcionamento de flutuantes, balneários, casas de shows e espaços de aluguéis para eventos. Os eventos que já estavam programados poderão acontecer, mas desde que obedeçam todas as restrições para a saúde.

Informações: Blog do Perônico – Foto: Prefeitura de Manaus