A Área de Proteção e Cuidados (APC), conhecida como Hospital de Campanha, terá uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em funcionamento exclusivo para pessoas com coronavírus. O anúncio foi feito pela prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB), na tarde desta sexta-feira (19).

Prevista para iniciar as atividades na próxima semana, a unidade é a nona na capital destinada aos pacientes com suspeita ou confirmação da doença. A Prefeitura estima que cerca de 15 mil pessoas são atendidas por semana, nos oito postos médicos já existentes.

“Acertamos com o general Barros a possibilidade de abrir uma UBS dentro da APC para atender o problema da Covid. Teremos atendimentos com médicos, enfermeiros, testes rápidos e tudo que diz respeito à doença”, reforçou Teresa.

Já atendem apenas pacientes contaminados:

UBS Olenka Macellaro – Caimbé
UBS Mariano de Andrade – Caranã
UBS Délio Tupinambá – Nova Cidade
UBS Aygara Motta – Cidade Satélite
UBS Silvio Botelho – Paraviana
UBS São Vicente
UBS Lupércio Lima – Pintolândia
UBS Equatorial

TESTES

Mais de 50,4 mil testes foram comprados e outros 60 mil devem chegar para atender a demandas nas unidades. Além disso, a Prefeitura espera contratar mais 10 médicos para reforçar as equipes que estão na linha de frente do combate à pandemia.

Teresa explicou que a separação de locais específicos para pacientes com o novo vírus evita que a doença chegue a todos os postos, ajudando a diminuir a curva de casos e concentrando o problema para melhor solução.

“Separamos as oito, que funcionam até meia noite. Tivemos dificuldades, porque o Governo não nos repassou os testes que Brasília mandou. Com isso, passamos 15 dias sem testes. Houve uma demana reprimida muito grande desde segunda-feira”, declarou.

Para ela, se as UBSs destinadas exclusivamente para essas pessoas não demonstrarem ser estratégia eficiente, a Prefeitura fará novas mudanças. “Queremos resolver da melhor forma possível”, garantiu.

APC

O Hospital de Campanha recebeu os 10 primeiros pacientes com coronavírus na madrugada desta sexta-feira (9), após impasses quanto à abertura. Na noite de hoje, estão previstas as remoções de mais 10.

A área tem, inicialmente 80 leitos, mas poderá ter a capacidade ampliada para até 782 neste mês de junho, com 70 reservados para quem estiver em estado crítico da doença. O local só pôde ser aberto com a ajuda do Banco Itaú, Hospital Sírio Libanês e Ministério da Saúde, que agilizaram insumos e medicamentos.

Teresa também garantiu que, se for necessário, a APC vai receber crianças para tratamento.

Informações: Roraima em Tempo