Uma audiência da CPI da Saúde na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), prevista para esta quinta-feira (25), foi adiada em cima da hora devido à sessão plenária marcada pela mesa diretora para o mesmo horário. A mudança foi feita hoje pela manhã.

O denunciante e auditor de contratos públicos que seria ouvido, Frederico Aurélio Bispo, reside no estado de Goiás e viajou até Boa Vista somente para ser ouvido. Contudo, só souve da mudanças às 11h de hoje, quando já estava em Roraima. Conforme a presidência da CPI, as reuniões têm sido feitas por videoconferência.

“Estou gastando quase R$ 3 mil em passagem, viajei no meio da pandemia. Como que vou falar sobre os documentos que possuo sem poder mostrar? São muitos detalhes técnicos para serem esclarecidos que estão embutidos neles. Preciso apontá-los de forma didática e isso só pode ser feito pessoalmente”, afirmou.

PROVAS

Frederico disse que possui mais de 200 páginas em documentos que indicam irregularidades em compras de insumos pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), nas gestões dos ex-secretários Cecília Lorenzon e Francisco Monteiro.

“A maior parte das provas é sobre a gestão da Cecília, mas também há evidências contra Monteiro. Temos superfaturamento, fraude em licitação, compra de medicamentos sem licitação, descumprimento de ordem judicial, prejuízo ao erário público. Preços costumavam ser aumentados em equipamentos, como parafusos, medicamentos e até UTIs aéreas. O caso da Cecília é tão grave, que ela só assumiu a CERR (Companhia Energética de Roraima) por causa do foro privilegiado. O Denarium sabe disso”, disparou.

Cecília Lorenzon foi secretária de junho a dezembro de 2019, sendo exonerada após pressão de servidores. Mesmo assim, ela está como presidente da Companhia Energética de Roraima desde fevereiro.

Já Monteiro foi secretário de fevereiro a maio deste ano e deixou o comando da Pasta após denúncias de compra superfaturada de respiradores para tratamento de pacientes com coronavírus. Ele teve os bens bloqueados pela Justiça de Roraima.

SESSÃO

De acordo com presidente da CPI da Saúde, deputado Coronel Chagas (PRTB), a sessão plenária foi marcada e comunicada hoje pela manhã. Disse ainda que, caso não seja possível a testemunha estar presente na próxima data, o depoimento pode ser coletado por videochamada.

“Fomos informados de que a mesa diretora marcou uma sessão plenária no mesmo horário, para deliberar projetos, com esse equipamento [usado para transmissão de vídeos de deputados em isolamento]”, justificou.

Ele pediu que o relatório alegado pela testemunha seja protocolado na CPI e a oitativa remarcada. “Se ele estiver em Roraima, como costuma estar rotineiramente, podemos fazer pessoalmente, mas ele não precisa se deslocar”, finalizou.

Informações: Roraima em Tempo – Foto: Supcom/ALE