O diretor do Centro Socioeducativo de Roraima, Sheine Alves de Castro, e outros três servidores suspeitos de integrar o “clube da taca” foram afastados dos cargos, após um série de denúncias de torturas física e psicológica contra adolescentes.

A decisão do afastamento foi assinada pela secretária Tânia Soares de Souza e comunicada à Justiça nesta terça-feira (20). O afastamento é resultado de uma decisão da 1ª Vara da Infância e Juventude.

No documento que o G1 teve acesso, a secretária afirma que os quatro estão “desempenhando funções em outros departamentos e não interferindo ou se aproximando de nenhuma forma no CSE”. Foram afastados:

  • Sheine Alves de Castro, diretor do CSE e agente do estado de São Paulo;
  • Genildo Pedro da Silva, ex-gestor da unidade e atual gerente de recursos humanos;
  • Hugo Cristiano Lemos da Silva, que tem função de assessor de projetos especiais, mas assinava documentos como gerente de segurança e disciplina da unidade;
  • Evandro George da Silva Ferreira, gerente do Núcleo de Suporte e Abastecimento do CSE.

Procurada, a Setrabes disse por meio de nota que “todos os procedimentos estão sendo apurados de forma imparcial com prazo de até 45 dias por determinação judicial” mas não informou em quais unidades os servidores estão lotados. A informação também não consta no ofício encaminhado à Justiça.

Informações: G1 Roraima – Foto: Divulgação/Setrabres