Após anúncio feito pelo Ministério da Educação (MEC) no bloqueio de 30% das verbas destinadas às universidades federais em todo Brasil, o Instituto Federal de Roraima (IFRR) informou que a instituição tem condições de manter as atividades até setembro deste ano.

Em nota publicada pela Pró-Reitoria de Administração, o Decreto nº 9.741/19 bloqueou 30% do orçamento da unidade de ensino, o equivalente a R$ 6,5 milhões de verbas destinadas às despesas discricionárias, como energia, água, limpeza e outros. De acordo com a reitora do IFRR, Sandra Botelho, a situação dificulta ainda mais o cenário que já estava sendo enfrentado na instituição.

“Já estávamos trabalhando no limite. A sociedade também é prejudicada porque se não conseguirmos terminar o ano letivo, impacta a oferta de novas vagas. Se os alunos não saem, não tem como entrar outros”, declarou.

Uma reunião será feita na segunda-feira, 06, pelo Comitê Orçamentário, formado por todos os diretores dos campis, pró-reitores e diretores sistêmicos, para avaliarem quais cortes podem ser feitos na instituição. Não é descartada a possibilidade de ter mais cortes nas bolsas estudantis e em outros serviços.

A reitora irá para Brasília junto com o Conselho das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) para debater com o representante da Secretaria de Educação Profissional Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) e, posteriormente, com o ministro da Educação para tratar do assunto.

Informações – Folha de Boa Vista