Uma semana após comissão do Conselho de Direitos Humanos da ONU acusar Nicolás Maduro de crimes contra a humanidade, um discurso gravado do ditador da Venezuela foi transmitido no plenário da Assembleia-Geral da entidade.

Maduro falou por mais de meia hora, o dobro do solicitado às autoridades, e se disse alvo de “incessantes ataques do império estadunidense”.

E mentiu descaradamente ao dizer que reafirma o compromisso de promover o respeito aos direitos humanos e às liberdades fundamentais de todas as pessoas. Durante o longo discurso, o representante dos EUA abandonou o plenário da ONU.

O relatório da comissão das Nações Unidas divulgado na quarta-feira (16), afirmou que há motivos razoáveis para acreditar que se cometeram assassinatos, prisões e outras privações graves de liberdade física, torturas, estupros e outras formas de violência sexual, desaparições forçadas e outros atos desumanos na Venezuela.

Informações: Blog do Perônico – Foto: Palacio Miraflores/Reprodução