Servidores terceirizados da empresa Haiplan procuraram a reportagem, nesta terça-feira (19), para denunciar que os salários de março e abril não foram pagos. Segundo eles, mesmo após o Governo de Roraima repassar recursos à companhia, as remunerações nunca foram efetivadas.

“Estamos em situação difícil. Você trabalha e não recebe o que é seu por direito. Além desses dois meses, tenho outros seis salários do ano passado que nunca foram pagos. O governo precisa explicar isso. Somos servidores, mães e pais de família que necessitam do salário para sobreviver”, desabafou uma servidora, em sigilo.

Os atrasos nos repasses às empresas ocorriam com frequência na gestão passada. Ao assumir, o governador Antonio Denarium (PSL) se comprometeu em dar atenção a essa categoria.

Contudo, parcelas do ano passado deixaram de ser pagas, de acordo com os servidores. Na semana passada, a Secretaria de Educação informou que havia feito repasses às empresas terceirizadas e nega que esteja com dívidas de 2019.

“Mas nunca recebemos. Isso se arrasta de uma gestão para outra gestão. A gente procura a empresa, que culpa o governo. O governo culpa a empresa. Nós que estamos na ponta, limpando os prédios, sofremos com isso”, lamentou outra funcionária, que prefere não ser identificada.

CITADOS

O Governo informou que o pagamento segue trâmites burocráticos legais, e que é responsabilidade das empresas enviar notas com comprovações até o quinto dia útil do mês subsequente ao serviço prestado, o que não vem ocorrendo.

“Desta forma, o atraso do pagamento é provocado pelas próprias empresas. As notas referentes ao mês de março, por exemplo, deram entrada na Seed apenas no dia 14 de abril e ainda estavam incompletas, o que exigiu aguardar novos comprovantes. Somente após esse procedimento os fiscais puderam dar continuidade ao pagamento”, justificou.

Ainda conforme a Educação, no dia 8 de maio foram repassados à Haiplan R$ 725 mil referente ao serviço de março de 2020. “Agora estão em processo de conferência e análise as notas referente a abril, as quais deram entrada no dia 7 de maio”, acrescentou.

Por fim, o Governo garantiu que não há qualquer pendência referente a 2019. “Os funcionários que estiverem com o pagamento atrasado referente a 2019 devem procurar a empresa terceirizada para esclarecimentos, pois é responsabilidade da empresa pagar o funcionário”.

A reportagem não conseguiu contato com a empresa citada. O espaço está aberto para manifestação.

Informações: Roraima em Tempo – foto: Edinaldo Morais