O jornal Folha de Boa Vista recebeu denúncias de que os preços dos medicamentos indicados no tratamento da covid-19 dispararam nas prateleiras de farmácias da capital. Quem está em tratamento contra a doença também relatou a dificuldade de encontrar os remédios.

A chefe de recursos humanos Carmem Moura, que está em tratamento contra a covid-19, informou que nesse último sábado ligou para várias farmácias e não encontrou a medicação, mas perguntou sobre os preços de remédios que ela já havia comprado antes e percebeu que aumentaram o preço.

“No mês de março, um médico me receitou azitromicina. Comprei seis comprimidos que custaram R$ 30. Nesse sábado fui comprar e essa mesma quantidade ta saindo por R$ 90. Os atendentes das farmácias dizem que o aumento foi feito pelos laboratórios, mas eu não se isso é verdade. Mas acredito que tem donos de farmácias e drogarias se aproveitando da situação, assim como fizeram com álcool e máscaras logo no início da pandemia aqui em Boa Vista”, comentou Carmem.

“Eu ainda tenho dinheiro para comprar, e quem não tem gente, como é que faz? Um absurdo isso, porque a prefeitura e o governo do estado são quem deveriam fornecer a medicação para as pessoas se tratarem e nem isso estão fazendo. Cadê os Procons pra atuarem em favor das pessoas neste momento tão difícil”, ressaltou Carmem, dizendo que, mesmo com preço mais alto e dificuldade de encontrar nas drogarias e farmácias, ainda conseguiu comprar o remédio.

O CASO – A chefe de recursos humanos Carmem Moura, que está em tratamento contra a covid-19, disse que apresentou os sintomas comuns à doença no mês de março, mas o médico de um posto de saúde teria dito que ela não tinha sido contaminada pelo coronavírus, mas receitou o medicamento azitromicina.

“Esse médico sequer fez o teste pra confirmar ou não se eu estava infectada. Só passou a receita e disse pra eu ir pra casa, e assim eu fiz. Tomei o remédio azitromicina que ele indicou, e melhorei. Só que, acredito que o vírus ficou encubado no meu organismo, porque quando se manifestou eu passei muito mal e ainda estou tendo crises, como muita falta de ar”, disse Carmem.

Informações: Folha de Boa Vista – foto: Divulgação