Em coletiva, o general Eduardo Pazuello explicou que os salários dos trabalhadores terceirizados do Governo de Roraima não serão pagos enquanto todos os contratos não forem auditados. Inicialmente, receberão os salários apenas os servidores diretos e indiretos, de autarquias e secretarias.

“Os terceirizados estão dentro da dívida corrente, que são os contratos, ou seja, nenhum contrato, por decisão de intervenção, será pago sem ser auditado. Todos serão verificados, analisaremos preços de mercado, etc. Se tudo estiver justo e da maneira correta, será incluído nos pagamentos prioritários, por isso não haverá pagamento de terceirizados no momento”, afirmou.

Ao fim da coletiva, nem o general nem o governador e interventor deram previsão para que os pagamentos dos terceirizados aconteça.