Atendimento no Programa Família que Acolhe será restrito no mês de fevereiro por conta da covid-19

Devido o aumento dos casos da Covid-19 na capital, o núcleo de saúde da sede do Programa Família que Acolhe atenderá de forma agendada para evitar aglomerações

O Programa Família que Acolhe, no mês de fevereiro, estará com o atendimento restrito em sua sede, que funciona na rua Sólon Rodrigues Pessoa, nº 615, bairro Pintolândia e nas unidades dos CRAS.

Serão feitas apenas a entrega de enxoval para as beneficiárias gestantes de 9 meses e entrega de leite para as beneficiárias participantes do programa, com filhos a partir de um ano de idade.

De acordo com a secretária municipal de Projetos Especiais Andréia Neres Ferreira, o programa sempre teve a preocupação com o bem-estar das beneficiarias que participam das atividades e na gestão do prefeito Arthur Henrique não é diferente.

“Por esse motivo e no contexto de pandemia que estamos passando, tivemos a necessidade de restringir os atendimentos pessoais para preservar a saúde de todos e para minimizar a circulação tanto no prédio do FQA quanto nos CRAS”, enfatizou.

As beneficiárias atendidas mensalmente com o leite e as grávidas com os enxovais devem ficar atentas à data e horário do primeiro encontro do mês, previsto no Calendário da Universidade do Bebê, que é quando os benefícios serão entregues. 

Elas devem comparecer seguindo as recomendações de saúde, dentre elas, a utilização de máscara.

Devido o aumento dos casos da Covid-19 na capital, o núcleo de saúde da sede do Programa Família que Acolhe atenderá de forma agendada para evitar aglomerações. As beneficiárias que ainda não recebem nenhum tipo de benefício não precisam ir na sede do programa nas datas dos encontros, pois as ausências serão justificadas.

Os novos cadastros serão feitos apenas de forma remota, pelo whatsApp 98403-2875, nos horários das 8h até 11h e das 14 às 17h. Outro canal de atendimento para tirar dúvidas é o e-mail: [email protected] ou ainda pelo telefone: 98402-8812.