Presidente Jair Bolsonaro demonstrou preocupação com a crise migratória em Roraima (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Em artigo publicado na Folha Impressa desta quinta-feira, 17, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que Roraima será prioridade nas ações do Governo Federal. O texto trata principalmente sobre questão da crise migratória que vem afetando o Estado nos últimos anos.

Veja o que escreveu:

O governo federal vai prosseguir com as ações humanitárias que estão sendo promovidas em Pacaraima e na capital do Estado, Boa Vista. Um País com a vocação democrática do Brasil jamais poderia abandonar à própria sorte centenas de venezuelanos que tentam, diariamente, sobreviver à crise humanitária venezuelana.

Mas a Pátria Amada de todos os brasileiros também não pode deixar de dar atenção especial ao povo de Roraima já neste início de mandato. E esta é a principal mensagem que a comitiva de ministros presente em Pacaraima vai transmitir, em meu nome, à população roraimense e ao governador, Antonio Denarium (PSL).

A estratégia possui três eixos, que são o ordenamento de fronteira (para organização da entrada, registro e imunização); o acolhimento em Boa Vista e Pacaraima, para que a população não precise dormir na rua; e a interiorização, para tirar pressão sobre os serviços públicos do Estado e de seus municípios.

Sabemos que o Estado, e Pacaraima em especial, sofre com o fluxo intenso que tem sobrecarregado os serviços públicos. Aliás, aproveito para parabenizar os brasileiros de Roraima pelo apoio manifestado à Operação Acolhida, realizada pelo Exército e pelo Governo Federal.

Apesar da questão complexa que é o acolhimento de refugiados, vejo com otimismo o futuro do Estado. Minha afirmação baseia-se no mais recente relatório da Operação Acolhida, apresentado na 8ª reunião do Comitê Federal de Assistência Emergencial, presidido pela Casa Civil da Presidência da República.

Segundo dados da Polícia Federal, até dezembro do ano passado, cerca de 200 mil venezuelanos entraram pela fronteira de Pacaraima, sendo que 60% deles deixaram o Brasil. E a cidade é apenas a 4ª maior porta de entrada de nossos vizinhos no País. A Colômbia continua sendo o principal destino, enquanto Panamá, Argentina e Espanha recebem mais venezuelanos que o Brasil.

Os números do relatório informam que cerca de 5,7 mil venezuelanos estão acolhidos em 13 abrigos construídos pelo governo federal em Roraima e que pouco mais de 4 mil foram para 29 cidades pelo processo de interiorização. Revelam ainda que nem todos os venezuelanos que chegam ao Brasil permanecem no País.

Por tudo o que Roraima tem feito, pelo seu potencial e importância estratégica, as ações do Governo Federal preveem a manutenção das medidas de ajuda e o programa de interiorização, mas vão além disso. Passam pela melhoria da qualidade de vida da população, pelo desenvolvimento da economia — em especial, da produção agropecuária — e pela geração de mão de obra. Sim, Roraima é prioridade para o Governo Federal.

*Presidente do Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here