O cenário do agronegócio em Boa Vista vem passando por mudanças positivas e, com isso, trouxe bons resultados tanto para os agricultores quanto para a economia do município, que melhora a cada safra. Os investimentos da prefeitura no campo foram reforçados a partir de 2017 com a elaboração do Plano Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio (PMDA), que contribuiu para aumentar os números da produção agrícola.

Por meio do plano, agricultores de Boa Vista que antes produziam apenas para o sustento de suas famílias, hoje aumentaram as áreas plantadas e consequentemente as oportunidades de investimentos em suas propriedades.

Com o PMDA, as cooperativas se fortaleceram, os agricultores e associados estão organizados em polos de produção. “As cooperativas já estão recebendo as parcelas do investimento feito pela prefeitura e liberando esse atendimento aos produtores, também com a organização para a aquisição de máquinas e equipamentos que faziam falta ao agricultor no momento do cultivo e que agora eles passam a ter acesso”, frisou Fábio Guths, diretor-técnico da Secretaria Municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas.

Com apoio e incentivo, as culturas em destaque de cada região produtiva criaram uma identidade geográfica do local, o que também agrega valor na negociação e venda do produto na pós-colheita. O PMDA tem se mostrado eficiente nas principais propostas em que ele foi planejado, entre elas o aumento da produtividade. Os itens que já eram cultivados em Boa Vista nos últimos dois anos têm mostrado maior qualidade e dobrado a produção.

1 – Milho (grãos): Nos últimos dois anos, com a tecnologia empregada por meio do PMDA, a produtividade praticamente dobrou. Os agricultores deram um salto de produção, de 80 sacas colhidas por hectare passaram para 130 sacas/ha em 2018 e com a estimativa de colher 150 sacas por hectare na safra 2019. A previsão de faturamento é de quase R$ 2 milhões.

2 – Batata Doce: Antes, a produção de batata-doce girava em torno de 16 toneladas por hectare. Em 2018, com a ajuda de maquinário, insumos, assistência técnica e a utilização das tecnologias corretas, a produtividade chegou a quase 60 toneladas por hectare. Com isso foram injetados em torno de R$ 5 milhões na economia roraimense. Em 2019, a expectativa é ultrapassar o índice de 60 toneladas por hectare, chegando próximo de 80 toneladas/ha.

3 – Mamão: Revelação de produtividade em 2019, o mamão chegou para definitivamente ganhar espaço de produção na área rural de Boa Vista. A estimativa de produção é muito promissora, chegando a 100 toneladas por hectare/ano, com previsão de faturamento em torno de R$ 1,8 milhão.

4 – Melancia: Com o polo da melancia constituído, o ano de 2018 foi muito promissor para os agricultores. A produtividade chegou em torno de 30 toneladas por hectare com a injeção de mais de R$ 2 milhões na economia do município. O retorno para os agricultores é positivo pois vem com ampliação de área e o consequente aumento da produtividade. A meta é superar o índice de 30 toneladas por hectare.

 5 – Soja (grãos): É o principal produto da agricultura brasileira, respondendo por mais de 9% de toda a balança comercial do Brasil e ocupando a maior parte das terras agricultáveis. Ocupa um espaço importante na produção no município de Boa Vista, tendo atingido em 2018 aproximadamente 50 sacas por hectare. Houve um acréscimo de 20% na produtividade com relação ao ano anterior. Os agricultores atendidos pelo plano no ano passado já estão caminhando por conta própria, um dos objetivos do PMDA que está sendo cumprido. Na safra deste ano, com investimentos em novos agricultores, a meta é chegar ao índice de 60 sacas/ha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here