O secretário Nacional de Minas e Energia, Ricardo de Abreu Sampaio Cyrino, confirmou o início das obras do Linhão de Tucuruí para o mês de agosto deste ano. A notícia foi transmitida ao governador Antonio Denarium por meio de contato telefônico, ao final da tarde de ontem.

Esse é mais um avanço do Governo do Estado junto ao Governo Federal. O primeiro passo foi a publicação do Conselho de Defesa Nacional, no Diário Oficial da União, que declarou a obra do Linhão como de interesse Nacional.

“Estive reunido com representantes do consórcio que vai executar a obra, além da Eletronorte, Funai (Fundação Nacional do Índio) e Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente). As negociações sobre as compensações aos indígenas estão bem encaminhadas e o Projeto Básico Ambiental Indígena será protocolado no dia 20 de maio na Funai”, declarou Ricardo Cyrino.

Segundo ele, o pedido de licenciamento ambiental para dar início às obras será protocolado no Ibama, no dia 10 de junho. “Desta forma, os prazos originais serão garantidos. Com o licenciamento ambiental sendo aprovado em meados de julho, as obras serão iniciadas a partir de agosto”, complementou.

Roraima é o único Estado Brasileiro que ainda não faz parte do Sistema Interligado Nacional e dependia da energia produzida pela hidrelétrica de Guri, na Venezuela. Dez dos 15 municípios roraimenses eram abastecidos pela energia venezuelana desde 2001.

Porém, a crise energética foi intensificada na Venezuela, que interrompeu o fornecimento de energia elétrica para o Estado, e foi necessária a ativação este ano de cinco termelétricas em Boa Vista.

“Nos próximos meses teremos a certeza de início das obras do Linhão de Tucuruí. Isso representa mais uma vitória de Roraima pela Defesa Nacional e também pela segurança energética, atraindo novos investidores, que é a nossa frente de trabalho, e, com isso, mudar a matriz econômica e gerar emprego e renda para a população”, disse Denarium.

HISTÓRICO – Em 2011, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) licitou a obra do Linhão de Tucuruí. À época, o consórcio TransNorte (TNT), formado pelas empresas Alupar e Eletronorte, investiu R$ 300 milhões na obra, que deveria ter sido entregue em dezembro de 2015, mas sequer começaram.

Agora, a TNE conectará Boa Vista ao Sistema Interligado Nacional. O Estado de Roraima vai ser interligando ao SIN por meio da subestação Lechuga, no Amazonas, cobrindo aproximadamente 715 km de linha de 500 KV, em circuito duplo, com 3 subestações. Esta empresa foi constituída após o consórcio Boa Vista, composto pela Alupar (51%) e pela Eletronorte (49%), e saiu vencedora no leilão 004/2011 realizado pela Aneel.

Informações – Folha de Boa Vista – Foto/Reprodução: TNE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here