Em levantamento realizado pelo Serasa Experian, em março deste ano, o número de consumidores inadimplentes em Roraima chegou a 209 mil pessoas. Isto significa que 61,9% da população adulta do Estado não consegue pagar ao menos uma dívida. No ranking nacional, o Estado ficou no primeiro lugar de inadimplência. Em comparação com o mesmo mês em 2018, houve um aumento aproximado de 12,63%.

“Fiquei desempregado em 2017 e minha esposa no início de 2018. A partir daí as complicações começaram. Contas, financiamentos, cheque especial, multas, filho pequeno. Tudo se tornou uma bola de neve” conta o autônomo Alexandre Damasceno que passou a complementar a renda de sua casa como fotógrafo.

Historicamente, a inadimplência tende a crescer mais no primeiro trimestre pela concentração de despesas e gastos adicionais nesta época. Mas segundo pesquisa realizada em 2018 pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o desemprego é o principal motivo de inadimplência para 37% dos entrevistados, seguido de redução da renda (24%) e o descontrole financeiro (12%).

“Estamos vivenciando um aumento alarmante da taxa de desemprego no Brasil, mas essa desocupação em Roraima é expressiva. Não estamos gerando emprego e alguns setores estão demitindo muito. Isso acaba afetando diretamente a renda das pessoas que, ao serem demitidas, não possuem mais recursos para pagar suas contas”, explica o economista da Fecómercio, Fabio Martinez.

Na Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C) trimestral, realizada em maio de 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, o número de desempregados em Roraima cresceu 56% no primeiro período de 2019 em relação ao ano anterior. Uma diferença de 14 mil pessoas desempregadas, totalizando 39 mil.

“Outra questão que estamos sentindo nos últimos meses é o aumento da inflação e a consequente elevação dos preços. Claro que ainda não é nada tão alarmante, mas isso acaba reduzindo o poder de compra da população. Quando o preço das mercadorias aumenta, não sobra dinheiro para pagar todas as suas contas”, complementa.

Dentre os principais tipos de dívida apresentados em levantamento feito pela Fecómercio RR em abril de 2019, estão: Cartão de crédito (64,5%); carnê de lojas (30,1%); crédito consignado (19,2%). Essas dívidas comprometem em média 27,9% da renda das famílias roraimenses, e se alongam por aproximadamente 6 meses. Dentre os que possuem contas em atraso, o tempo médio de vencimento é de 51 dias.

Economista dá dicas para controle dos gastos

Mesmo convivendo há décadas com inflação alta e preços abusivos de mercadorias no orçamento doméstico, o conhecimento do brasileiro sobre este tema é baixo.

“Infelizmente isto não é ensinado na escola, na família e muitas vezes nem na faculdade. As pessoas acabam aprendendo no dia a dia. Isto deixa a população muito exposta para eventuais endividamentos, como compras no dia das mães e dos namorados. Não controlam seus gastos e acabam metendo os pés pelas mãos”, aponta o economista Fabio Martinez.

A principal dica de Martinez é o controle dos gastos com anotações: “Tanto os variáveis como a compra de uma roupa, quanto contas básicas do dia a dia, como luz e água. Anotando todos esses gastos, você começa a ter consciência de como seus rendimentos são aplicados. Fazendo esse levantamento, são identificadas as prioridades e coisas supérfluas. A partir daí você pode utilizar o dinheiro extra para regularizar a vida financeira ou até fazer uma reserva de emergência”.

Ter plena consciência de toda sua dívida, também é um ponto chave apontado pelo economista. “Isto não se trata apenas de valores, não é apenas o quanto devo, mas sim o quanto ela me custa. Você pode ter uma dívida pequena, mas por juros elevados, ela acaba aumentando rapidamente e se transforma numa bola de neve”, finaliza.

Thiago Nigro dará palestra em RR sobre Educação Financeira 

Com o tema: ‘Seja você o Primo Rico!”, o SEBRAE-RR traz no Show de Empreendedorismo, Thiago Nigro, especialista financeiro e fundador do canal de Youtube “O Primo Rico”. Os interessados já podem se inscrever pelo 0800 570 0800 ou no link www.sebrae.com.br/uf/rr.

A palestra será realizada no próximo dia 18 de junho, às 19h30, no auditório do Centro Amazônico de Fronteiras (CAF), da Universidade Federal de Roraima (UFRR – Campus Paricarana), localizado na Av. Capitão Ene Garcêz, 2413 – Bairro Aeroporto. O investimento é de R$ 30,00.

“Empresários, potenciais empresários, MEI’s e estudantes interessados no tema, devem aproveitar essa oportunidade para aprender mais sobre a educação financeira e sua importância, não só para aplicar nos negócios, mas também na vida”, afirma Núbia Ribeiro, gerente da Unidade de Relacionamento com Cliente.

O palestrante – Aos 18 anos Thiago Nigro perdeu no mercado financeiro tudo o que seus pais haviam levado anos para juntar. Foi quando aprendeu na pele que a Bolsa de Valores não perdoa amadores e ignorantes. Mas Thiago fez disso uma lição e queria entender de verdade os motivos pelos quais ele perdeu todo o seu dinheiro.

A sua ânsia e busca por conhecimento deu resultado positivo e, aos 19 anos, Thiago já possuía mais certificações do que um gerente private de um banco. Só faltava uma coisa: pôr o conhecimento em prática e entrar no mercado financeiro como profissional, e não como somente um investidor.

Informações – Folha de Boa Vista – Fotos – Nilzete Franco e Diane Sampaio