A Companhia de Águas e Esgoto de Roraima (Caer) foi alvo de recomendação do Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR) por estar despejando resíduos sem tratamento diretamente no Igarapé Caxangá e no Rio Branco.

A recomendação expedida pela Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente nesta quinta-feira, 15, trata das Estações Elevatórias de Esgoto Calungá e Caxangá. Segundo o MPRR, as investigações apontam que as duas estações estão ocasionando extravasamentos em ruas nas imediações do Parque do Rio Branco devido ao mau funcionamento.

“Os resíduos estão direcionados para o sistema de drenagem para captação de águas das chuvas, e lançados sem tratamento, diretamente no Igarapé Caxangá e no Rio Branco”, ressalta a promotoria. “Os resíduos de esgoto não podem ser destinados no curso d’água ou despejados diretamente no solo sem o devido tratamento estabelecido pelo órgão ambiental competente”, destaca o documento.

De acordo com a recomendação, a Caer deverá adotar as medidas necessárias no prazo máximo de 30 dias, além de se abster, imediatamente, de praticar atos ou omissões que ocasionem crimes de poluição ambiental.

A Caer também deverá informar o MPRR, no prazo de 10 dias úteis, a respeito das medidas que serão adotadas para o cumprimento da Recomendação.

OUTRO LADO – Em nota, a Companhia de Águas e Esgotos de Roraima informou que irá atender todas as solicitações da Promotoria do Meio Ambiente.

Informações e foto: Folha de Boa Vista