Aprovados no concurso público da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), realizado em 2018, denunciaram o excesso de comissionados do órgão ao Ministério Público do estado. Um levantamento feito por eles, aponta que, só neste ano, 2.680 pessoas foram nomeadas para cargos de confiança, enquanto o número de efetivos é de 75 servidores.

Para chegar ao número de comissionados em massa, os aprovados criaram uma comissão que consultou, de janeiro a abril, todos os diários oficias publicados pela Assembleia, onde constam as nomeações. Ao todo, são 765 comissionados em gabinetes e 1.915 servidores lotados na estrutura da Casa.

G1 procurou a Assembleia Legislativa sobre o assunto, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Com base em uma planilha enviada pelo Legislativo ao Ministério Público de Roraima e obtida pela reportagem, é possível fazer um ranking com os deputados que mais têm comissionados: Chico Mozart (PRB) lidera com 44, seguido de Aurelina Medeiros (Pode), com 43. (Veja abaixo os demais).

O concurso de 2018 ofertou 43 vagas, entre os níveis superior e médio, e previa convocação e posse “conforme a necessidade”, o que ainda não ocorreu.

De acordo com o MP de Roraima, a denúncia de desproporcionalidade no quadro de servidores comissionados é apurada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público. As denúncias ao órgão foram feitas individualmente, mas a comissão presente ingressar com uma queixa coletiva.

Informações e foto – G1 Roraima