O artigo “A inclusão da pessoa com deficiência para além da escola”, da professora Ana Rita de Cássia da Silva Oliveira, foi publicado no livro “A Missão Pedagógica de Educar para Democracia: Caminhos para uma Formação Cidadã”. A obra conta com artigos selecionados de pedagogos de todo o Brasil. O livro será lançado no próximo mês, mas já está à venda neste link.

O livro é resultado da participação de educadores no Programa Missão Pedagógica no Parlamento, em 2018, pelo Congresso Nacional. O objetivo é capacitar professores de escolas públicas de todo o Brasil em educação para a democracia, de modo a contribuir para a valorização da escola como espaço para a vivência de experiências e valores democráticos.

A professora Ana Oliveira também é uma das organizadoras da obra com os professores Hedgard Rodrigues da Silva, da Paraíba e Maria Soares Lima, de Brasília. Ela foi selecionada no programa quando era coordenadora pedagógica na Escola Municipal Francisco de Souza Bríglia.

No entanto, o artigo sobre a inclusão é resultado de um projeto desenvolvido na Escola Municipal Professora Danubia Carvalho de Oliveira, onde a professora Ana atua com atendimento educacional especializado na Sala de Recursos Multifuncionais. O artigo é o único sobre a inclusão de pessoa com deficiência.

“Participar da organização do livro, assim como da construção do artigo, foi uma experiência única e enriquecedora. Fui a única professora que abordou a importância da inclusão da pessoa com deficiência para além da escola. Também traz o resultado de uma experiência exitosa em uma escola de educação infantil, que contou com o apoio da Coordenação de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação, além de toda a comunidade escolar”, disse Ana Oliveira.

Escolas de Boa Vista garantem inclusão de alunos com deficiência

Até fevereiro de 2020, a rede municipal de ensino atendeu 952 alunos da educação inclusiva nas salas de aula com recursos multifuncionais. O município investe na capacitação continuada de profissionais, contratação por meio de concursos e permanência de assistentes e cuidadores dentro das salas para respeitar e garantir a inclusão das crianças nas mesmas metodologias de ensino, com o currículo educacional voltado à primeira infância.

Alunos que apresentam algum tipo de deficiência: física, intelectual, auditiva, visual, transtornos globais de desenvolvimento e, também, em casos de crianças com altas habilidades/superdotação, são atendidos pela educação especial. Os educadores promovem metodologias diferenciadas para o aprendizado de cada criança, seja nas Salas de Recursos Multifuncionais ou no Centro Municipal Integrado de Educação Especial.

A rede municipal de ensino disponibiliza ainda um cuidador para atender aos alunos, público-alvo da educação especial, que apresentam limitações no processo de alimentação, higienização e locomoção. E oferece vagas para alunos em todas as escolas do município, garantindo a matrícula na escola municipal mais próxima de casa.

Recursos utilizados para a inclusão de alunos com deficiência nas escolas municipais

Libras – Para garantir o acesso e a permanência dos alunos surdos, a prefeitura trabalha com a atuação de profissionais bilíngues em Libras/Língua Portuguesa nas escolas, assim tornar o ambiente propício a aprendizagem da pessoa com surdez.

Braille – O projeto Educação Braille iniciou no ano de 2018 em Boa Vista, surgiu da necessidade de efetivar a inclusão do aluno cego por meio do sistema Braille de ensino, favorecendo o processo de aprendizagem, oferecendo interação entre o leitor com o texto lido tornando-o mais autônomo dentro e fora do ambiente escolar.

Salas de Recursos Multifuncionais – O trabalho é desenvolvido por 118 professores especialistas na área de educação especial, que além dos atendimentos ofertados desenvolvem diversos projetos e atividades em parcerias com a comunidade escolar na qual os alunos estão inseridos.

AEE – O Atendimento Educacional Especializado é um serviço desenvolvido na rede regular de ensino que organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas, os atendimentos devem acontecer no turno oposto no qual o aluno está matriculado no ensino regular.

Dessa forma, deve integrar a proposta pedagógica da escola, envolver a participação da família para garantir pleno acesso e participação dos alunos. Assim complementa a formação do aluno com vistas à autonomia e independência na escola e fora dela.

Centro Municipal Integrado de Educação Especial – É uma instituição que conta com uma equipe multidisciplinar de pedagogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, psicólogos e fonoaudiólogos que fazem os atendimentos a crianças com necessidades especiais da rede pública e privada.