O Ministério Público de Roraima (MPRR) ofereceu, no dia 9 de maio, denúncia contra o presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), Jalser Renier Padilha, por ter praticado livre e conscientemente vias de fato, ofendido a dignidade e ameaçado a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, e assessores em uma rádio de Boa Vista em outubro de 2018.

Dos crimes que Jalser vai responder, estão: lesão corporal, vias de fato, injúria real, ameaça, contra funcionário público, dano qualificado, podendo ser condenado e preso com penas que vão de 1 ano e 3 meses até 6 anos e 4 meses.

Na denúncia, a promotora de justiça Carla Cristiane Pipa narra todos os fatos ocorridos no dia 26 de outubro de 2018 e enquadra Jalser nos artigos 140, parágrafo 2º, c/c; 141, inciso II; 147; 163, I, c/c, e 129; todos do Código Penal Brasileiro. Além do artigo 21 da Lei 3.688/1941, que diz respeito à prática de vias de fato.

O caso

No dia da confusão, Teresa concedia entrevista em uma rádio local quando o presidente da ALERR, Jalser Renier, entrou no estúdio pedindo para participar da entrevista. Vídeos que circularam por todo o país flagraram o momento em que Jalser entrou no estúdio e começou uma sucessão de ofensas contra a prefeita e assessores.

“Você vai pagar, sua vaca. Você é uma pilantra, você é que rouba. Você rouba. Você é uma puta que rouba. Eu vou te prender, sua puta. Você vai ver o que vai acontecer”, ameaçou Jalser em um dos vídeos que registrou a confusão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here