Segundo denúncias, Paulo Sérgio havia recebido mais de R$ 1,6 milhão em diárias, por 180 viagens, desde 2012

O procurador Paulo Sérgio Oliveira de Sousa, do Ministério Público de Contas (MPC), foi afastado do cargo nesta sexta-feira (4) durante uma operação do Ministério Público de Roraima (MPRR). Ele é investigado por desviar dinheiro público por meio de concessões de diárias indevidas para viagens nacionais e internacionais.

Durante a operação “Embarque Imediato”, deflagrada pela manhã, são cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, sequestro de bens móveis e imóveis e bloqueio de contas. Em 2015, o procurador chegou a ser afastado também por usar dinheiro público para fazer uma viagem pessoal, no entanto, ele conseguiu na Justiça voltar ao cargo.

Com o afastamento, determinado pelo magistrado Luiz Fernando Castanheira Mallet, o procurador além de ser afastado das funções, está proibido de ter acesso às dependências do MPC e de manter contato com servidores do órgão, informou o MPRR.

As investigações iniciaram a partir de representação documental formalizada junto ao MPRR apontando os supostos desvios e após viagens do procurador terem sido divulgadas na revista Época. A reportagem afirmou que Paulo Sérgio havia recebido mais de R$ 1,6 milhão em diárias, por 180 viagens, desde 2012.

“Ao tomar conhecimento dos fatos, o MPRR instaurou procedimento investigatório, requisitando informações e documentos, dentre os quais relatórios técnicos confeccionados por auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RR), que confirmaram os desvios e foram determinantes para a deflagração da Operação”, informou.

A operação do MPRR teve o auxílio do Grupo de Atuação Especial de Combate a Organizações Criminosas (Gaeco). O nome da operação “Embarque Imediato” faz alusão às viagens realizadas pelo procurador de Contas custeadas com recursos públicos.

Informações: G1 Roraima

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here