As equipes de agentes visitam diariamente bairros da capital orientando os moradores sobre medidas simples que podem ser adotadas para evitar a proliferação do mosquito

Para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, a Prefeitura de Boa Vista intensifica as visitas dos agentes de combate às endemias (ACE) aos bairros da capital, principalmente, naqueles onde foi registrado alto índice de infestação do mosquito. 

O último Levantamento Rápido de Índice de Infestação para o Aedes aegypti (LIRAa) classificou Boa Vista com alto risco, com 4,8%. O bairro Araceli é um dos que estão no topo da lista dos locais com alta incidência do mosquito, com 12,5%. Diariamente as equipes de agentes visitam os quarteirões orientando a população sobre medidas simples que podem ser adotadas para evitar a proliferação.

A agente de combate às endemias, Dannyele Cristiane Almeida, explica que no verão os criadouros geralmente são aqueles de uso diário do morador, como a caixa d’água para armazenamento, pingadeiras de ar-condicionado e outros.

“É mais comum no verão a utilização de caixas baixas para o armazenamento nos bairros onde ocorre a falta de água. O ideal é que, pelo menos, uma vez por semana o morador faça a limpeza dessa caixa e a troca de água e também a higienização das vasilhas do cachorro, evitando assim a proliferação do mosquito e doenças”.

Durante as visitas, os agentes encontram também um grande número de acumulo de lixo doméstico e entulhos em frente às casas e nos terrenos baldios. Uma simples tampinha de garrafa jogada no quintal é capaz de proliferar vários mosquitos.

A orientação da prefeitura é que a população mantenha a atenção redobrada com qualquer objeto jogado que possa acumular água e que acondicione o lixo de maneira correta e não acumule entulhos.

“É importante esclarecer que no último levantamento de índice de infestação do mosquito, um dos principais criadouros foi o lixo doméstico. Orientamos que os sacos de lixo sejam bem fechados e colocados em locais cobertos, outra medida fundamental é manter os quintais limpos e livres de objetos que possam acumular água e a proliferação do Aedes”, orienta o coordenador do Núcleo de Doenças Transmitidas por Vetores, Samuel Garça.

O morador do bairro Araceli, João Jorge Costa, 54, tem mantido o quintal limpo para evitar doenças. “Eu tento manter meu quintal limpo, capino e varro quase todos os dias e embalo direitinho o lixo para a prefeitura levar, além de trocar a água do cachorro”, conta.

Resultado do 5º LIRAa do ano –A média do índice de infestação predial foi de 4,8% com 313 imóveis positivos para o Aedes. Dos 313 imóveis positivos, 93% correspondem a residências e comércios e outros 7% de terrenos baldios. Dos 54 bairros avaliados, 28 foram classificados como alto risco, 18 com médio e 8 com baixo risco de infestação do mosquito.

Alguns cuidados básicos para evitar a proliferação do mosquito – Manter fechadas e vedadas as caixas de água, cisternas e poços, tampando com telas aqueles que não têm tampa. Os tonéis e depósitos de água que não possuem tampa devem ser escovados e cobertos com telas. Entulho e lixo devem ser descartados corretamente, os pneus em local coberto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here