Mesmo com prédios abandonados, Governo gasta quase R$ 2 milhões por ano em alugueis

O prédio do antigo Boa Vista Shopping, caso fosse revitalizado, poderia abrigar alguma repartição do Governo de Roraima
O prédio do antigo Boa Vista Shopping, caso fosse revitalizado, poderia abrigar alguma repartição do Governo de Roraima

Quatro pastas da estrutura do governo de Roraima funcionam em prédios alugados, com pagamento mensal de R$ 155,8 mil, gerando uma despesa anual de R$ 1.869.600. Valor esse que poderia ser economizado caso o Executivo usasse prédios públicos abandonados para abrigar tais secretarias. As informações são da Secretaria Estadual de Comunicação Social (Secom).

O prédio onde funcionava o Boa Vista Shopping, localizado na Avenida Capitão Júlio Bezerra, é um bom exemplo de estrutura ociosa, que, revitalizada, poderia abrigar uma das pastas que hoje funcionam em imóveis particulares.

O prédio onde funcionava a Secretaria de Estado da Gestão Estratégica e Administração (Segad), na Rua Major Manoel Correia, bairro São Francisco, também poderia ser usado dentro da estrutura governamental. Atualmente, serve de moradia irregular para imigrantes venezuelanos, conforme a Folha de Boa Vista publicou recentemente.

De acordo com nota da Secom, um dos órgãos que funcionam em imóvel alugado é o Instituto de Terras e Colonização do Estado de Roraima (Iteraima), que custa aos cofres públicos um valor mensal de R$ 50 mil. O Estado também desembolsa R$ 52,5 mil por mês com aluguel para manter a estrutura da Secretaria de Gestão Estratégica e Administração (Segad) em funcionamento.

Completam a lista, de acordo com a Secom, o Instituto de Previdência do Estado de Roraima (Iper), que custa aos cofres públicos R$ 34,3 mil mensais, e a Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr), no valor R$ 19 mil por mês.

Ainda de acordo com nota da Secom, a Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes) esclarece que “a nova gestão está em processo de levantamento e avaliação de todos os prédios que pertencem à pasta. Este levantamento está integrado ao plano de ação para os cem dias de gestão, que está em fase final de elaboração pela secretaria”.

A nota esclarece ainda que “a Setrabes adianta que a intenção é de que seja realizado um planejamento para que, futuramente, possa ser definida a utilização para cada um desses imóveis”.

Informações: Folha de Boa Vista