Uma paciente e um servidor da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) denunciaramm a falta de atendimentos neurocirúrgicos e na área de proctologia na Clínica Médica Especializada Coronel Mota.

Roberlândia Souza Dias é uma das várias vítimas dessa falta. Ela está com aneurisma e precisa fazer um exame que só está disponível fora do estado, para saber o grau da doença. Pelo Sistema Único de Saúde (SUS), isso só seria possível com atestado de Tratamento Fora de Domicílio (TFD), que deve ser concedido por neurocirurgião.

Como o profissional está em falta na clínica Coronel Mota, Roberlândia se preocupa com os impactos que isso pode ter no tratamento. “Toda semana estou indo lá para falar com a diretoria sobre a disponibilidade de profissionais para me darem o TFD. Estou tentado conseguir desde novembro. Estou desesperada”, lamentou.

De acordo com o servidor, que optou por não ser identificado para evitar perseguições, esse é um problema que ocorre há cerca de um ano, e se deve à falta de pagamento de comissionados que prestam serviços para a Coronel Mota em clínicas particulares.

“Exames médicos diagnóstico por imagem costumam ser feitos por uma clínica específica, mas ela não está mais fazendo ressonância para pacientes do Coronel Mota. E uma ressonância pode custar R$ 1,2 mil. Como uma pessoa que mora no interior, ou mesmo nós, tentando sobreviver durante a pandemia, vai conseguir pagar pelo serviço? O governo finge que paga, e os funcionários fingem que trabalham”, afirmou.

Além disso, o denunciante destacou que outros serviços da Coronel Mota estão com defasagem de comissionados, devido à falta de pagamentos, o que resulta em poucos agendamentos de serviços para muita demanda.

“Na maioria dos exames que estão disponíveis abrem duas ou três vagas por dia, para uma demanda de cerca de 100 pessoas diariamente. Isso é indignante com a população, com aquela pessoa carente, que trabalha tanto, paga tantos impostos, e ele vem para fazer o exame e bate com a porta na cara”, salientou.

OUTRO LADO

A direção da Clínica Médica Especializada Coronel Mota informou a unidade está realizando um levantamento para identificar junto ao quadro de servidores efetivos a disponibilidade de profissionais para reforçar o atendimento na Unidade. Sobre os atendimentos neurocirúrgicos, nenhum retorno foi recebido.

A direção alega que todos os servidores que atuam na unidade estão com os salários em dia. E sobre os exames de imagem, ressaltou que os procedimentos estão sendo realizados para todas as especialidades, das 7h30 às 18h.

“No entanto é importante reforçar que o agendamento só pode ser feito mediante a apresentação da guia médica, cartão do SUS, CPF, RG e Comprovante de Residência”, afirmou em nota.

Informações: Roraima em Tempo – Foto: Edinaldo Morais