O vereador Zélio Mota, líder do Executivo na Câmara, repudiou na manhã desta quarta-feira, 10, projeto que tramita na Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR) que sugere a redistribuição do ICMS entre os municípios do Estado, podendo retirar de Boa Vista cerca de R$ 13 milhões.

Zélio ocupou praticamente todo o tempo do grande expediente da Câmara destacando as principais ações do município que ficarão prejudicadas com a possível redução dos recursos, inclusive demissões.

“Essa medida da forma como foi apresentada vai prejudicar muito o município, uma vez que Boa Vista é uma capital – estado, onde vivem 65% da população do Estado. Retirando R$ 13 milhões de Boa Vista para outros municípios não resolve os problemas das cidades do interior”, disse Zélio.

O presidente da Câmara, vereador Mauricélio Fernandes, disse que ficou surpreso com a proposta da ALERR. “Acho injusto com Boa Vista. Não entendo qual motivo para mudar as regras desses recursos neste momento. Estamos vivendo uma situação preocupante em Boa Vista com a crise migratória e ficar sem esses recursos vai prejudicar todos os serviços essenciais da cidade, como saúde e educação, principalmente, onde está mais complicado com o aumento acelerado da demanda. Vamos tomar todas as providências para evitar isso em Boa Vista”, afirmou Mauricélio.

A vereadora Dr. Magnólia também repudiou o projeto. “Concordo com o vereador Zélio Mota no que diz respeito à perda desses recursos. Não podemos aceitar. Tirar da capital para enviar recursos a outroa municipios, eu acho um absurdo. Vai virar um caos. Temos 24 deputados estaduais que podem fazer emendas para ajudar os municípios”, declarou.

Zélio afirmou ainda, durante pronunciamento, que reformas em postos de saúde, manutenção de escolas, pagamento de salários em dia, limpeza, dentre outros serviços poderão ser prejudicados seriamente com a redução.