As quedas de energia registradas desde o início da semana foram por conta de uma falha de sistema em um transformador na subestação de Monte Cristo, após manutenção programada pela empresa no fim de semana.

“Durante a manutenção, foi constatado um vazamento de gás no transformador, o que fez com que nós tivéssemos que fazer um reparo na estrutura e ocasionou as quatro quedas de energia durante a quarta-feira”, explica o diretor técnico da Roraima Energia, Rodrigo Moreira.

O diretor ainda esclarece que até esta sexta-feira (31) a situação deva ser normalizada. “O transformador tem cerca de 40 toneladas, então as operações de manutenção e recolocação envolvem certa complexidade. Até esta sexta tudo estará normalizado”, completa o diretor.

A Empresa já havia programado a interrupção de luz para o domingo (26) que durou meia hora, sendo das 5h30 às 6h. No dia 27, não houve publicação de interrupção, mas houve queda. Este é o segundo desligamento sem aviso prévio da empresa nesta semana.

Todos os desligamentos programados, sejam para uma obra de melhoria, expansão de rede ou manutenção, são divulgados no site da RR Energia e não há como realizar esta publicação se não houver um cronograma, por isso gostaríamos de trazer estes esclarecimentos à população”, destaca.

QUEDAS

Os blecautes interromperam a audiência pública na Assembleia Legislativa, nessa terça-feira (28) que debatia justamente a crise energética no Estado. A sessão reuniu parlamentares e representantes da Roraima Energia, empresa responsável pelo abastecimento energético. As quedas chegaram a interromper a fala de Moreira, que estava presente no evento.

Apesar das quedas e das manutenções programadas, Moreira disse que a interrupção no fornecimento não altera a conta de energia além do previsto e que durante o ‘inverno’, as faturas já registram um valor mais baixo.

“Sem o fornecimento, não há contagem do que é consumido, então não há repasse na fatura. Nós já registramos uma diminuição no preço das contas após o início do ‘inverno’ porque já não há demanda do ar condicionado, o que fez com que as contas ficassem mais caras nos últimos meses”, explica o diretor.

Ainda segundo Moreira, o reajuste nas tarifas da população ocorreu devido ao aumento de consumo estabelecido legalmente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O reajuste em Roraima é feito em novembro de cada ano, mas a última mudança ocorreu em 2018 e desde então não houve aumento da tarifa em 2019.

ABASTECIMENTO

Há dois meses e 21 dias, desde o último ‘apagão’ na Venezuela, o Estado é abastecido por termelétricas. O Jornal Roraima em Tempo já havia adiantado, em matéria, que cerca de R$ 34 milhões deixariam de circular dentro de Roraima caso o Estado ficasse 30 dias sem energia, conforme o Sindicato da Indústria de Desdobramento e Beneficiamento de Madeiras, Laminados e Compensados de Roraima (Sindimadeiras).

Enquanto isso, está previsto para esta sexta-feira (31) que seja realizado o leilão para energias alternativas no Estado. As obras para o Linhão de Tucuruí, consideradas de interesse nacional, ainda aguardam entrega e aprovação de licenciamento ambiental. Ambos os empreendimentos tem previsão de conclusão para 2020.

Informações: Roraima em Tempo