Sete meses após início da pandemia, Governo lança portal de informações sobre gastos com a covid-19

215

Por duas vezes, o Governo de Roraima apareceu com notas baixas no ranking da ong Transparência Internacional quanto a informações sobre contratações emergenciais, doações e medidas de estímulo econômico e proteção social referente à covid-19. E agora, sete meses depois do início da pandemia, o Estado lança um portal para prestar contas de tudo o que gastou na área de saúde para combater a doença.

Com a criação do portal, o Governo reconhece a imagem negativa que o Estado obteve após estar nas últimas posições do ranking da Transparência Internacional. Na primeira divulgação feita pela ong, em agosto, Roraima estava no último lugar. Já no início deste mês, subiu para a 22ª colocação.

A ong avalia os portais de transparência de todos os 26 estados, Distrito Federal, capitais e do Governo Federal. A escala de pontuação da vai de 0 a 100, em que os mais transparentes são aqueles que mais se aproximam da nota máxima. Além de prejudicar o atendimento básico de saúde, a corrupção pode afetar também as tentativas dos governos de estimular a economia e ajudar as famílias em situação vulnerável.

No lançamento do portal, nesta quinta-feira (10), o secretário do Governo Digital, Paulo Torres, tentou justificar o atraso de sete meses para a plataforma estar no ar. “É uma ferramenta de alta complexidade. Não é que demorou, mas é por que precisa se desenvolver um projeto, envolver todas as secretarias e colocar as informações em todos os sistemas. Isso leva um tempo”, completou.

Vale lembrar que, além da baixa prestação de contas dos gastos com a covid-19, no mês passado o governo foi alvo de uma operação policial que investiga justamente fraudes, desvio de recursos, superfaturamento de respiradores, máscaras e cartilhas. Além disso, há uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa investigando fraudes no setor da saúde.