Denarium tem mais de R$ 1,7 bilhão em caixa e não melhora a Saúde pública, diz Frutuoso

De acordo com Lins, é graças aos profissionais da Saúde que ainda é possível fazer algo pelos pacientes, pois, segundo ele, se depender do governador Antonio Denarium nada será feito - Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira, 18 de outubro, data em que é celebrado o Dia do Médico, o vice-governador de Roraima, Frutuoso Lins (MDB), teceu duras críticas ao governador de Roraima, Antonio Denariu (PP). Ao parabenizar os colegas de profissão, Frutuoso lamentou a situação em que muitos profissionais são submetidos a trabalhar todos os dias e afirmou que o governo do Estado tem mais de R$ 1,7 bilhão em caixa, mas não consegue melhor a Saúde pública.

De acordo com Lins, é graças aos profissionais da Saúde que ainda é possível fazer algo pelos pacientes, pois, segundo ele, se depender do governador Antonio Denarium (PP) nada será feito.

“O governo de Antonio Denarium vem recebendo R$ 50 milhões a mais por ano para o setor, em relação ao governo de Suely Campos. No entanto, a Saúde de hoje todos sabem como está: não se consegue operar um femur, hérnia, vesícula e até histerectomia”, lamentou.

O vice-governador acrescentou, ainda, que o governo do Estado vem recebendo recursos para Saúde de diferentes fontes e citou, como exemplo, repasses para o combate do Covid-19, transferências feitas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), além de outros repasses realizados pelo governo federal para atendimento aos venezuelanos.

“Desde o início do governo eu venho falando: Antonio, vamos fazer mutirão para acabar com essa fila de espera por cirurgias e até agora não ocorreu. […] Em três anos, o governo que não se preocupa com a saúde pública do Estado, não vai querer em um ano agora que é pré-eleitoral, se preocupar. Na verdade ele quer enganar a população dizendo que vai fazer alguma coisa”, disparou.

Plano de recuperação

Como médico e conhecedor da área, Lins disse que preparou e entregou no início do mandato ao governador um Plano de Recuperação da Saúde, mas que nunca foi colocado em prática por Denarium.

“A culpa de tudo que está acontecendo na Saúde de Roraima são desmandos e o culpado é Antonio Denarium. O Tribunal de Contas da União [TCU], por exemplo, está processando o Estado por suspeita de desvio de dinheiro na Saúde. Sem contar que já teve outras duas operações da Polícia Federal que aconteceram na pasta, tudo isso somente neste governo”, concluiu.

Governo alega investimentos

Por meio de uma longa nota, a Secretaria de Comunicação Social (Secom) rebateu o vice-governador de Roraima e garantiu que o Governo de Roraima tem investido na melhoria da saúde pública. Com projetos de reformas e construções, foram investidos cerca de R$ 75 milhões na infraestrutura da Saúde.

Segundo a Secom, no Hospital Geral de Roraima Rubens de Sousa Bento (HGR) com foco no enfrentamento a Covid-19, houve aumento na capacidade de tratamentos, com a ampliação de leitos de UTI e de enfermaria, com a reforma do Bloco B, que foi estruturado com 53 leitos para atendimento em pneumonia, clínica médica e cirurgia geral.

“O Grande Trauma foi reformado e recebeu um aumento de mais 25 leitos. O Pronto Socorro Francisco Elesbão foi completamente reformado, um investimento de R$ 3,7 milhões. Hoje, a população conta com um novo Pronto Socorro, moderno, equipado e dentro dos parâmetros de uma unidade hospitalar de emergência. Ainda assim, o Pronto Atendimento está sendo totalmente reformado, ampliado e adequado para proporcionar atendimento de qualidade e com conforto”.

Segundo a nota, no interior, o Estado recuperou as unidades hospitalares de Rorainópolis, Bonfim, Iracema e está reformando o Hospital Délio Tupinambá, em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. Investimento que somam mais de R$ 9,2 milhões.

No município de Caracaraí, o governo promete que o Hospital Irmã Aquilina será revitalizado através do processo de manutenção predial. “A Unidade está em fase de levantamento técnico de engenharia para liberar as ordens de serviço. As unidades de São João da Baliza e São Luiz estão com projeto em análise pela Caixa Econômica Federal para garantir o recurso”.

“Em abril deste ano, o governo inaugurou a Maternidade Thereza Monay Montessi, em Rorainópolis, anexa ao Hospital Regional Sul Governador Ottomar de Sousa Pinto. O investimento foi de R$ 4,2 milhões”, garante.

Ainda segundo o governo, o número de leitos de UTI foi ampliado em 650% para atender os pacientes. Outro avanço foi na realização de cirurgias de angioplastia, que eram feitas fora de Roraima trazendo uma economia aos cofres públicos em mais de 200%.

Servidor

A Secretaria destaca que na atual gestão foi promulgada a Lei 1.475/21 que trata do PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração) dos servidores da Sesau, garantindo o reajuste salarial de 43% para todas as 14 categorias da saúde com vigência a partir de 2022.

“Além disso, 2.224 trabalhadores foram beneficiados com o pagamento de R$ 178.521,37 em progressões verticais e 767 servidores alcançaram a estabilidade funcional, após a conclusão do estágio probatório e a realização das avaliações especiais de desempenho”.

Por fim, a nota garante que a força de trabalho “foi ampliada com a contratação de mais de 3.200 novos profissionais, por meio de processos seletivos, para reforçar a mão de obra nas Unidades Hospitalares na capital e interior”.

“O atual Governo também investiu na qualificação de profissionais de mais de 500 servidores, por meio da Escola Técnica de Saúde do SUS com a oferta de cursos em odontologia, enfermagem e técnicos de enfermagem e quadro geral, incluindo profissionais que atuam em áreas indígenas”.

Informações: O Poder