Os agricultores familiares de Boa Vista receberão mais um reforço na produção, com a entrega de mais de 350 toneladas de insumos agrícolas para o plantio 2020. Por meio do Plano Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio (PMDA), a prefeitura leva assistência técnica necessária para a correção do solo, além de outros benefícios que contribuem para o crescimento da produção no campo.

No total, foram adquiridas 200 toneladas de NPK (nutrientes de nitrogênio, fósforo e potássio), 110 toneladas de cloreto de potássio e 45 toneladas de ureia, insumos esses que vão contribuir com o plantio de batata doce, melancia, melão, grãos como soja, milho e feijão, além de tomate e macaxeira, HF (hortifruti) e outras culturas. A distribuição, por meio de contratos com as cooperativas e produtores já começa na próxima semana.

“Estes insumos garantem o plantio de diversas culturas de inverno e também para agricultura irrigada. Esta aquisição faz parte do PMDA, criado em 2017, e que já transformou a agricultura do município. E que, sem dúvida, a atual gestão está deixando um legado na agricultura da capital”, disse o secretário municipal de agricultura, Guilherme Adjuto.

Hoje o PMDA conta com, aproximadamente, 150 produtores da área rural e indígena de Boa Vista. Além dos insumos agrícolas, a Secretaria Municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas (SMAI) fornece assistência técnica, mecanização, além da implantação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para aumentar a comercialização da produção.

Recentemente, a prefeitura adquiriu duas novas plantadeiras e três grades aradoras que vão agilizar os trabalhos nas áreas de produção. As máquinas são modernas, eficientes e ficarão disponíveis para os agricultores do Projeto de Assentamento Nova Amazônia e das comunidades indígenas do município.

Entenda como funciona o PMDA

O PMDA foi criado na gestão da Prefeita Teresa Surita e se transformou no carro chefe do agronegócio em Boa Vista buscando fomentar o setor. O objetivo é de oferecer condições seguras aos agricultores com a aplicação de tecnologia moderna a fim de garantir o melhor desempenho produtivo nas lavouras.

Na primeira fase do projeto, o pacote de preparo de solo, os agricultores recebem os insumos e toda a assistência técnica necessária para a correção do solo. A prefeitura investe nos agricultores e esse investimento retorna 100% para as cooperativas, parceiras do PMDA.

Em contrapartida, com esses investimentos, as cooperativas se fortalecem aumentando número de associados e reinvestindo estes valores na ampliação e melhoria ou na abertura de área para outros agricultores. Esse processo gera um ciclo virtuoso e torna também os agricultores mais fortes e independentes.