Tatu, porco-espinho e até um filhote de jacaré estão entre os 135 animais silvestres capturados pelos Bombeiros no primeiro semestre de 2020 em Roraima. (Veja fotos abaixo)

De acordo com a corporação, houve um aumento de 18,42% no resgate de animais silvestres neste ano se comparado com os primeiros seis meses de 2019, quando foram registrados 114 ocorrências.

O estado enfrenta o período chuvoso e os habitats naturais destes bichos acabam alagados, o que contribui para que eles apareçam em perímetros urbanos, conforme explicação dos Bombeiros.

“Como Boa Vista e outros municípios são repletos de áreas verdes, isso se torna bastante comum durante o período chuvoso no estado”, diz trecho de publicação dos Bombeiros em uma rede social sobre os resgates.

As cobras lideram as ocorrências, de acordo com os Bombeiros. Neste ano já foram 72 serpentes capturadas, enquanto no mesmo período do ano passado foram encontradas 64.

No início deste mês, um técnico em eletrônica precisou da ajuda dos bombeiros para retirar uma Sucuri que estava enrolada no amortecedor de seu veículo. Ela entrou nas ferragens do carro após fugir de uma perseguição de moradores do bairro Operário, zona Oeste de Boa Vista.

Ao final de 2019, os Bombeiros resgataram 261 animais, sendo 154 cobras e outros 107 bichos de pequeno e grande porte.

Espécie ameaçada de extinção ‘dá as caras’

Uma surpresa para os Bombeiros são os tamanduás-bandeiras que apareceram na parte urbana de Boa Vista nas últimas semanas. A espécie está ameaçada de extinção em todo o mundo.

“Típicos do lavrado roraimense, eles sempre estão rondando o perímetro urbano, e com as fortes chuvas dos últimos dias acabam correndo desorientados em busca de abrigo”, pontua a corporação.

Há quatro dias, foi necessário que um tamanduá fosse resgatado em um condomínio na zona Leste de Boa Vista. O bicho estava acuado em canto do prédio. Apesar de evitar humanos, os tamanduás-bandeiras podem atacar se sentirem ameaçados.

Ao encontrar um animal silvestre é preciso se afastar para evitar qualquer tipo de conflito ou até mesmo ferir o bicho, é o que recomenda o comandante da Companhia de Busca e Salvamento, Alexandre Capêlo.

“Geralmente esses animais estão muito assustados e não oferecem risco às pessoas, se não tentarem capturá-los”, afirmou Capêlo.

O indicado é que sejam acionados os Bombeiros pelo número 193 ou a Polícia Militar, que aciona a Companhia Independente de Policiamento Ambiental, através do 190.

Após serem capturados, os animais são entregues ao Ibama para receber os cuidados necessários e depois são devolvidos à Natureza.

Informações: G1 Roraima – Foto: Corpo de Bombeiros-RR