Como o governo de Antonio Denarium prevaricou e não deu conta de colocar em funcionamento a Área de Proteção e Cuidados montada pelo Exército para atender pacientes acometidos do coronavírus, a Operação Acolhida fez parcerias com a iniciativa privada e parece que agra o Hospital de Campanha sai.

A unidade de saúde já deveria estar em funcionamento desde o dia 26 de março, mas o Governo Estadual ainda não contratou profissionais, nem comprou equipamentos e insumos para atendimento de pacientes com Covid-19.

Então o Exército terá a partir de agora apoio logístico do Ministério da Saúde, Hospital Sírio Libanês e Banco Itaú, segundo nota da Operação Acolhida.

Diz que a Área de Cuidados tem 80 leitos em condições de funcionamento desde o dia 20 de abril, mas que ainda não foram disponibilizados por falta de insumos e corpo clínico.

Com as novas parcerias, o Exército estima que até 264 leitos podem ser disponibilizados ainda no mês de junho. Médicos e outros profissionais serão cedidos por meio da cooperação, assim como insumos suficientes para o tratamento de pessoas com a Covid-19.

RETAGUARDA

A unidade foi anunciada com capacidade para até 1,2 mil leitos, mas nenhum está em funcionamento ainda. O Executivo assinou um termo de compromisso e ficou responsável pelos profissionais e insumos à unidade. Mas não deu conta de cumprir.

A informação é de que serão abertos inicialmente 80 e com a ampliação a capacidade total chegará a 1.200. Haverá contratação de médicos de todo o país, aquisição de insumos, equipamentos e medicamentos para garantir o funcionamento da área de Cuidados, pois a área de Proteção já está em funcionamento.

Informações: Blog do Perônico – Foto: Divulgação